Número de golpes de crédito pelo WhatsApp cresceu 198% em dois anos

Por Wagner Wakka | 28 de Outubro de 2019 às 12h00
Tudo sobre

WhatsApp

Saiba tudo sobre WhatsApp

Ver mais

O número de golpes de falso crédito pelo WhatsApp aumentou 198% nos últimos dois anos. É o que aponta levantamento feito pela empresa especializada em créditos Noverde, a partir de dados do Reclame Aqui. A novidade é que fintechs também começam a ser usadas para tais prátias fraudulentas.

De acordo com os dados do Reclame Aqui, entre janeiro e setembro de 2019, já foram registrados 683 golpes envolvendo promessas de crédito pelo WhatsApp. Nos mesmos meses de 2018 e 2017, foram registradas 519 e 232 ocorrências, respectivamente.

Em comparação, foram contabilizados, em todo ano passado, 692 casos deste tipo. Ou seja, só até setembro de 2019, há quase o mesmo número de casos registrados em todo 2018.

Um dos motivos levantados pela Noverde é que as fintechs passaram a ter um reconhecimento maior no mercado, o que permite que os golpes passem a usar também os nomes destas empresas.

“Hoje elas estão crescendo em volume, usuários e exposição. Por isso, todo mundo quer fazer parte dessa onda que está mudando o mercado financeiro e, infelizmente, abriu margem para atuação de pessoas mal-intencionadas”, aponta Felipe Ferraz, chefe de computação em nuvem do Centro de Estudos em Sistemas Avançados do Recife.

Como funciona? 

O usuário recebe uma mensagem pelo WhatsApp informando que teve um crédito pré-aprovado em uma determinada empresa, incluindo aqui, as fintechs. Contudo, para que este montante seja liberado, é preciso um depósito na conta da empresa. Assim, o usuário, na esperança de conseguir a aprovação, faz o envio do dinheiro e cai no golpe, já conhecido de muita gente.

Exemplo de golpe do crédito via WhatsApp

Para evitar ser vítima desta movimentação, há algumas dicas simples. A primeira é perceber que esta não é uma prática usual das empresas de crédito, como aponta a Noverde. Ou seja, se uma companhia exige um pagamento antecipado para liberação de crédito, já há uma fortíssima possibilidade de golpe.

É preciso também lembrar-se de quais empresas você entrou em contato para pedir crédito e desconfiar de mensagens de companhias não solicitadas. Ao receber alguma proposta, pesquise sobre quem está oferecendo o crédito ou mesmo ligue para os números oficiais. Nunca clique em um link suspeito recebido pela rede social.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.