iFood e PM devem se reunir em iniciativa contra o golpe do delivery

iFood e PM devem se reunir em iniciativa contra o golpe do delivery

Por Felipe Demartini | Editado por Claudio Yuge | 30 de Junho de 2022 às 17h22
Divulgação/iFood

A Polícia Militar do estado do Rio de Janeiro e o iFood devem se reunir para traçar estratégias de combate a crimes cometidos por bandidos disfarçados de entregadores. A ideia seria fechar um acordo de cooperação para defender a população contra delitos e fraudes que envolvam a plataforma, seja durante o processo de delivery ou apenas por criminosos que se passam por motoboys.

A informação foi adiantada pelo jornal carioca Extra, que cita uma desconfiança dos cariocas quanto ao aumento de crimes praticados por bandidos disfarçados como entregadores. De acordo com a publicação, eles usariam uniformes e caixas de transporte do iFood para realizar roubos sem que a abordagem inicial levante suspeitas, já que a vítima acreditaria se tratar de um motoboy a serviço da plataforma de delivery.

Poucos detalhes são dados sobre as possíveis medidas a serem adotadas pela PM e pelo iFood nesta parceria, mas a publicação traça um paralelo com uma cooperação parecida, firmada entre a cooperação e o Uber. Um botão de alerta no app de transporte, disponível desde 2018, pode ser acionado por motoristas e passageiros em caso de emergência, acionando a polícia com um único toque e compartilhando a localização no momento do acionamento.

O Canaltech entrou em contato com o iFood, que preferiu não se pronunciar sobre o assunto. A Polícia Militar do Rio de Janeiro também foi consultada, mas não respondeu.

Como evitar crimes e golpes no uso do iFood

No caso dos furtos e roubos comuns citados pela reportagem, a melhor proteção é ficar atento aos arredores, prestando atenção em indivíduos com atitudes suspeitas ou que estejam se aproximando. Se possível, evitar usar o celular em vias públicas ou de grande circulação, bem como colocar o aparelho em suportes veiculares que fiquem perto da janela do carro, de onde poderiam ser arrancados por alguém do lado de fora.

Manter sistemas de proteção sempre ativados, como senhas de acesso e verificação biométrica, também ajuda a proteger dados e aplicativos em caso de roubo ou furto. Ative tais recursos tanto no aparelho quanto nos próprios apps, usando também senhas únicas para acesso aos serviços online, que não se repitam entre serviços. Configure, ainda, tempos de bloqueio de tela, para que o celular seja trancado automaticamente em caso de inatividade.

Durante as entregas de delivery, é preferível usar o pagamento online e recusar qualquer cobrança adicional. Caso decida acertar os valores presencialmente, fique atento ao preço inserido pelo motoboy na máquina de cartão e não insira senhas ou o próprio plástico em aparelhos que tenham visores quebrados ou encobertos.

Fonte: Extra

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.