Estudo aponta que empresas lidarão melhor com ciberataques em 2022

Estudo aponta que empresas lidarão melhor com ciberataques em 2022

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 20 de Janeiro de 2022 às 20h20
Divulgação/Check Point

Nos últimos dois anos, por conta da pandemia da covid-19 e a reconfiguração das jornadas de trabalho mundialmente para saúde dos funcionários, ataques virtuais focados em empresas aumentaram em incidência. Mas, segundo um relatório recentemente divulgado pela Trend Micro, chegando em 2022, após esse período de riscos e adaptações, as instituições estarão mais preparadas para lidar com as diversas ameaças digitais do cenário atual.

Segundo o relatório de previsões para 2022 em cibersegurança, feito pela Trend Micro, terão que estar com pesquisa, visão de futuro e automação em dia para poderem se adaptar e responder as diversas ameaças virtuais que irão aparecer durante o ano.

A Trend Micro bloqueou 66,3 bilhões de ameaças de e-mail, arquivos e URLs maliciosas, de janeiro a setembro de 2021, o que representa praticamente o mesmo número detectado em todo o ano de 2020. Em 2022, o número de tentativas deve se manter parecido, mas com novas mitigações criadas pelas empresas.

No entanto, o relatório da Trend Micro prevê que muitas dessas organizações estarão prontas para lidar com as ameaças, já que estão implementando desde já uma estratégia para mitigar os riscos emergentes, através das seguintes medidas:

  • Rigorosas políticas de proteção de servidor e controle de aplicativos para enfrentar as ameaças de ransomware;
  • Patches baseados em riscos e um foco de alerta alto na detecção de brechas de segurança;
  • Proteção de linha de base aprimorada para SMBs (Server Message Block, ou “bloco de mensagens do servidor”) centrados na nuvem;
  • Monitoramento de rede para maior visibilidade em ambientes IoT;
  • Princípios Zero Trust para proteção das cadeias internacionais de suprimentos;
  • Segurança em nuvem com foco no risco ao DevOps e nas melhores práticas do setor;
  • Solução XDR (Extended Detection and Response, ou “Detecção e Resposta Estendida”) para identificar ataques em toda as redes.

Quais serão os métodos das invasões digitais em 2022

Ransomware ainda será preocupação para empresas em 2022. (Imagem: Reprodução/Pexels)

Os pesquisadores da Trend Micro preveem que, em 2022, os hackers concentrarão os ataques de ransomware em servidores e serviços expostos, aproveitando o grande número de funcionários que continuarão trabalhando em home office e possíveis vulnerabilidades. Ainda de acordo com o relatório, falhas serão transformadas em armas em tempo recorde e, conectadas a bugs de escalonamento de privilégios, poderão gerar campanhas maliciosas efetivas.

Quanto aos alvos, a Trend Micro prevê que sistemas de IoT (Internet das Coisas), cadeias de suprimentos globais, ambientes em nuvem e funções de DevOps serão os mais visados pelos criminosos, enquanto malwares mais sofisticados irão mirar nas pequenas e médias empresas em geral.

"Foram dois anos duros para as equipes de cibersegurança, tumultuados pelo trabalho em casa e pela explosão de ataques corporativos", avalia Jon Clay, vice-presidente de Inteligência de Ameaças da Trend Micro. "No entanto, à medida que o trabalho híbrido se estabelece e as atividades são retomadas, os líderes de segurança tornam-se capazes de traçar uma estratégia mais robusta para fechar esses gaps e dificultar a vida dos cibercriminosos."

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.