Emotet supera Trickbot e lidera lista de ameaças virtuais de janeiro de 2022

Emotet supera Trickbot e lidera lista de ameaças virtuais de janeiro de 2022

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 10 de Fevereiro de 2022 às 23h00
Divulgação / Lenovo

Após meses no topo, o malware Trickbot finalmente saiu da liderança do Índice Global de Ameaças divulgado pela Check Point Software, referente a janeiro de 2022. Em seu lugar, entra o Emotet, que em dezembro de 2021 por pouco não tinha chegado a ponta da lista.

O Emotet é um cavalo de troia que pode instalar outras ameaças para roubar dados bancários das vítimas. Até o final de 2020, ele era a praga digital mais recorrente do cenário de segurança virtual mundial. Esse malware havia ficado um tempo fora de circulação após uma operação da Europol ter desativado seus servidores, em janeiro de 2021.

Porém, em novembro de 2021, pesquisadores identificaram que o TrickBot estava instalando nos computadores em que infectava arquivos do Emotet, fazendo a ameaça retornar aos poucos e, agora em janeiro, assuma a liderança, afetando 6% das organizações em todo o mundo e 10% das empresas do Brasil.

“Não é surpreendente que o Emotet esteja de volta com força total. É um malware evasivo, dificultando a detecção, enquanto o fato de usar vários métodos para infectar redes só aumenta ainda mais o crescimento contínuo dessa ameaça. É improvável que este seja um problema de curta duração”, afirma Maya Horowitz, vice-presidente de Pesquisa da Check Point Software.

Ameaças em janeiro no Brasil

As ameaças no Brasil em janeiro contaram com um ranking bem parecido com o de dezembro. (Imagem: Divulgação/1Password)

O principal malware no Brasil em janeiro prosseguiu sendo o Emotet que, em dezembro de 2021 apresentava o índice de 6,28% de impacto nas organizações brasileiras, e aumentou para 9,96% o porcentual de impacto no mês passado. O Trickbot continuou em segundo lugar (3,34%) no ranking nacional em janeiro, enquanto o Glupteba (2,62%) manteve-se em terceiro.

Confira a lista com os malware mais usados no Brasil e seu impacto:

  • Emotet - 9,26%
  • Trickbot - 3,34%
  • Glupteba - 2,62%
  • XMRig - 2,18%
  • PyXie - 1,89%
  • Formbook - 1,89%
  • AsyncRAT - 1,60%
  • CrackoNosh - 1,53%
  • Ramnit - 1,38%
  • Kazy - 1,38%

Assim como nas edições anteriores do índice, a Check Point chegou às conclusões usando o mapa ThreatCloud, maior rede colaborativa dedicada ao combate do crime cibernético do mundo. O banco de dados da empresa inspeciona mais diariamente mais de 3 bilhões de sites e 600 milhões de arquivos, identificando 250 milhões de atividades de malware.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.