Dia dos Pais | Cuidado com o golpe do atendente impostor durante as compras

Dia dos Pais | Cuidado com o golpe do atendente impostor durante as compras

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 06 de Agosto de 2021 às 19h30
Pexels/Sora Shimazaki

Datas comemorativas atraem muita movimentação no varejo. Com o e-commerce mais fortalecido do que nunca, isso significa que as tentativas de golpes devem ter um reforço com a aproximação do dia dos pais.

No ano passado, o faturamento das vendas online no período cresceu 95,4% em relação a 2019. Segundo a Juniper Research, a movimentação foi de R$ 5,4 bilhões. O volume de prejuízos com fraudes em 2021 pode superar US$ 20 bilhões globalmente de acordo com a pesquisa Fraude de Pagamento Online: Ameaças Emergentes, Análise de Segmento e Previsões de Mercado 2021-2025.

Aldo Albuquerque, vice-presidente de Customer Delivery da Tempest Security Intelligence, diz que os cibercriminosos têm se aproveitado da intensificação do relacionamento entre empresas e clientes por canais digitais. “Os golpistas buscam não apenas dinheiro, mas dados, que podem ser até mais rentáveis”, destaca.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução/Pixabay

Atendente impostor

Um dos ataques mais recorrentes é o do atendente impostor. Os fraudadores utilizam perfis falsos para abordar clientes que procuram empresas nas redes sociais para sanar dúvidas ou em busca de atendimento. Nesses perfis, usam os termos “SAC”, “atendimento” ou “suporte” para dar impressão de legitimidade.

A interação pode ser ativa ou passiva. Enquanto na primeira forma os cibercriminosos monitoram as interações dos perfis legítimos das empresas e abordam os clientes diretamente, na opção passiva eles buscam imitar o comportamento do perfil oficial da empresa e esperam a vítima entrar em contato.

Depois de iniciar o suposto atendimento, os golpistas levam a comunicação para outra plataforma, como o WhatsApp ou o Telegram. Lá, podem sequestrar a conta da vítima e estender o golpe a seus contatos ou direcioná-la para um site falso na intenção de roubar suas credenciais.

Imagem: Reprodução/Envato/Prostock-studio

Esse tipo de ataque não é novo, mas se popularizou muito durante a pandemia. A equipe de inteligência de ameaças da Tempest monitora essa categoria de golpe há cerca de 7 anos, mas, desde março de 2019, registrou um aumento de 30 para quase 1.300 perfis falsos em redes sociais.

Uma forma simples de se prevenir contra essas ameaças é, antes de entrar em contato com uma empresa via mídias sociais, procurar conhecer seus canais de comunicação em seu site oficial. Em geral, o endereço divulga as redes sociais em que a companhia tem perfis, bem como os canais de contato e atendimento ao consumidor.

Phishing

Uma das práticas mais conhecidas no cenário de segurança da informação é o phishing. Albuquerque lembra que o número de vítimas aumenta em datas sazonais. No primeiro bimestre de 2021, houve um crescimento de 70% nas ações em relação a igual período de 2020, de acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Imagem: Reproduçã/Envato/leungchopan

Nesse tipo de invasão, o fraudador usa e-mails, SMS e outras ferramentas para induzir a vítima a clicar em links, abrir arquivos ou instalar vírus eletrônicos. O objetivo é obter dados bancários, número de cartão de crédito, senhas e outros.

No Dia dos Pais, os golpistas costumam enviar mensagens enganosas com links de promoções inexistentes, falsos pedidos de atualizações de dados e similares. A dica aqui é: nunca clique em links vindos de desconhecidos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.