Como proteger seu PC com criptografia

Criptografia é uma técnica bastante comum de proteção de dados utilizada tanto em arquivos locais quanto na internet. Grande parte dos sites atuais utiliza alguma forma de proteção criptográfica: basta olhar o endereço desta página para observar que ele começa com “HTTPS”. O “S” no final significa “Secure” (Hyper Text Transfer Protocol Secure). O mesmo acontece com as mensagens que enviamos no WhatsApp, inclusive.

Mas como criptografar os arquivos em nosso computador? Ou mesmo proteger drives inteiros? Vamos conhecer algumas opções a seguir.

Criptografia de dados e pastas

Há uma boa quantidade de opções, muitas delas totalmente gratuitas, capazes de proteger arquivos individuais. Digamos que você tenha algum arquivo realmente importante, ou mesmo uma pasta completa, que deseja proteger. Isso é bastante comum quando compartilhamos uma mesma máquina em casa (o “computador da família”). Como proteger esses arquivos?

Entre os principais programas temos o AES Crypt (Linux, Mac, Windows), o AxCrypt (Mac, Windows, Android e iOS), DMCrypt (Linux) e o GNUPG (Linux, Mac, Windows). Todos eles são gratuitos para uso pessoal e oferecem basicamente as mesmas funções, assim como oferecem um nível considerável de proteção para praticamente qualquer tipo de arquivo. Porém, não deletam automaticamente os arquivos originais depois de criptografá-los, o que deve ser feito manualmente.

Criptografia de drives e “cofres”

Algumas vezes precisamos criptografar uma quantidade maior de arquivos, ou mesmo precisamos de algo mais prático, uma alternativa para o processo de criptografar arquivos ou pastas individualmente. Uma boa alternativa é ter uma pasta especial, uma espécie de contêiner com arquivos criptografados onde podemos colocar arquivos sob demanda. É uma versão virtual de um cofre físico dentro de casa, onde guardamos somente o que é importante.

E é isso que o VeraCrypt (Linux, Mac, Windows), filho do icônico TrueCrypt, faz. Ele cria uma pasta criptografada protegida por senha onde você pode guardar documentos importantes. Basta digitar a senha escolhida (o programa informa se a senha é boa ou não, por sinal) para descriptografar a pasta apenas uma vez. Após o reinicio da máquina, ela volta a ser criptografada (o que pode ser feito manualmente).

O DiskCryptor tem exatamente a mesma função, oferecendo algumas customizações interessantes (escolha do algoritmo, por exemplo), além de permitir a criptografia de drives inteiros. É possível proteger discos externos e pendrives, até mesmo o drive de CD.

O Botlocker é capaz de criptografar até mesmo o drive primário.

Não quer instalar nenhum programa extra? O Windows possui uma ferramenta embarcada de criptografia: o BitLocker. Ela vem pré-instalada em algumas edições do Windows a partir do Windows 7 (no Windows 10 ele está presente na versão Pro). O BitLocker é capaz de criptografar tanto os drives secundários quanto o disco de boot. Ou seja, quando habilitado, o Windows pedirá uma senha para descriptografar o sistema, que fica inacessível de outra forma.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.