Auditorias de segurança reprovaram 23% das empresas nos últimos três anos

Por Redação | 20 de Outubro de 2014 às 10h46

Um estudo realizado pelas empresas Axway e Ovum com foco na segurança de dados, governança e desafios de integração nas empresas mostra que grande parte das companhias ainda não está preparada para os novos desafios na área de segurança, o que se reflete em riscos econômicos e na reputação delas.

O estudo ouviu 450 profissionais de diversas partes do mundo, dos quais 23% afirmam que suas empresas falharam nos processos de auditoria de segurança nos últimos três anos, enquanto 17% disseram não saber ou não acreditarem que se realizem um processo de auditoria hoje seriam aprovadas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Para Saurabh Sharma, analista sênior da Ovum, os riscos estão maiores para as empresas. “Como o volume e a velocidade dos negócios continuam crescendo, as organizações enfrentam maior risco em expor dados críticos. Além disso, exigências regulatórias mandatórias demandam processos auditáveis transparentes e um alto nível de visibilidade e controle sobre o fluxo de dados importantes”, afirma.

Ainda segundo Sharma, as abordagens tradicionais estão defasadas e não são adequadas para atender os requerimentos complexos, o que aumenta consideravelmente as chances de violação e o não cumprimento das normas.

Entre as prioridades apontadas pelos diretores de segurança da informação das companhias ouvidas pelo estudo, 87% priorizavam a continuidade dos negócios e a recuperação de desastres, 85% focavam na proteção contra ameaças cibernéticas, 84% na gestão de ameaças internas e 83% apontavam como prioridade o acompanhamento do cumprimento das normas.

Para determinar o preparo dessas empresas quanto às prioridades de segurança e governança foram considerados como prioritários elementos relacionados à infraestrutura de integração e de arquivo de transferência de tecnologias.

As organizações apresentaram resultados negativos quanto à integração da infraestrutura e 71% delas afirmaram ter pouca relação entre estratégia de integração e a segurança, privacidade, governança e política de dados, além de mais da metade relatar que possuem uma infraestrutura de integração fragmentada.

Já a lista de preocupações por parte dos usuários está relacionada principalmente às transferências de arquivos, com 84% deles preocupados com a confiabilidade, 77% com as normas, 75% com visibilidade e monitoração e 74% com integração.

As questões relacionadas com infraestrutura e governança também aumentaram, gerando preocupações referentes à privacidade e segurança de dados. Entre os problemas que ganham destaque para os entrevistados estão a criptografia de dados, apontada por 89%, definição e aplicação de políticas de segurança, indicada por 86% e gestão de identidade e acesso (78%).

“As descobertas da Ovum apontam uma luz sobre os desafios que a maioria das organizações tem hoje em atender os crescentes requerimentos de segurança de dados e conformidade, bem como os riscos de não aplicar a governança do fluxo de dados de forma eficaz", disse Dean Hidalgo, vice-presidente executivo de marketing global da Axway.

O estudo completo (em inglês) pode ser conferido aqui.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.