Veja os 5 golpes cibernéticos direcionados preferencialmente a adolescentes

Veja os 5 golpes cibernéticos direcionados preferencialmente a adolescentes

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 02 de Agosto de 2021 às 19h00
Montagem Canaltech/Pixabay

Mesmo os mais espertos podem cair em golpes na web. Isso porque muitas dessas atividades são criadas para iludir as vítimas, mesmo as que passam bastante tempo navegando, e usam pretextos que, de alguma forma, atraem o público a que se destinam. E é assim que a armadilha é montada.

Até os adolescentes, que têm costume de usar bastante o espaço digital, podem ser influenciados quando determinados assuntos são apresentados a eles. Nesses ataques, os golpistas tentam enganá-los para conseguir dinheiro ou dados pessoais.

E vale lembrar que, independentemente da idade, quem usa a internet deve ficar atento. “Dedicar alguns minutos para analisar, refletir e revisar os sites e as informações solicitadas é essencial”, aponta Cecilia Pastorino, pesquisadora do Laboratório da ESET na América Latina. 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução/Envato/DragonImages

Ela alerta que algumas atitudes podem ajudar a evitar os golpes. “Conhecer os riscos a que está exposto, atualizar os aplicativos, ter uma solução de segurança nos dispositivos e ter bom senso na interação online são essenciais.” 

O Canaltech reuniu alguns dos golpes mais comuns direcionados a adolescentes. Veja, a seguir, quais são eles e dicas que podem ajudar a não cair nessas armações.

1 – Redes sociais 

As redes sociais são um dos espaços em que o público jovem passa mais tempo. Por isso, essas plataformas são escolhidas pelos golpistas para diferentes ações. Entre as mais comuns estão as manchetes chamativas de celebridades que direcionam a sites maliciosos. 

Outra tática dos criminosos é enviar mensagens sobre concursos ou sorteios. Nelas, os bandidos incluem um link que leva a um site fraudulento criado para infectar dispositivos com malware ou tentar obter informações confidenciais.

Imagem: Reprodução/Unsplash/Shingi Rice

2 – Grandes descontos

Marcas e produtos desejados pelos adolescentes são outra isca usada pelos fraudadores. Eles oferecem tênis em edição limitada, roupas de marcas famosas (e caras!) ou outros itens de interesse desse público. Para comprá-los com descontos muito atraentes, a vítima é orientada a clicar em um link — que leva a um site de varejo falso. 

Se o usuário clicar e fizer uma compra no endereço enviado, é bastante provável que não receba produto algum. E o pior: terá compartilhado detalhes de cartão de crédito, que podem ser usados pelos cibercriminosos em ações diversas.

3 – Bolsas de estudo

Outra forma de tentar tirar proveito dos adolescentes é oferecer bolsas de estudo inexistentes. Esse golpe pode ser apresentado de diferentes modos. É comum, por exemplo, que os falsos programas exijam o pagamento de uma taxa de inscrição. Como o processo não existe, se o pagamento é efetuado, o golpista fica com o dinheiro.

Imagem: Reprodução/Envato/ASphotostudio

Há, ainda, os que informam que a bolsa de estudo foi ganha em um sorteio. Nesse caso, o aluno é instruído a pagar uma taxa que, segundo o fraudador, se refere a custos tributários. No fim, o resultado é o mesmo: não existe o que foi oferecido e o criminoso fica com o dinheiro.

4 – Vagas de emprego

Muitos adolescentes buscam emprego para se tornarem independentes e poderem fazer as atividades que quiserem. Os bandidos criam estratégias para se aproximar desses jovens com ofertas de emprego falsas que parecem boas demais para ser verdade. 

As vagas aparecem em fóruns de empregos legítimos e, normalmente, apresentam posições que permitem trabalhar em casa e ganhar um bom salário. O objetivo é obter informações pessoais da vítima e usá-las em atividades ilícitas, como abrir contas bancárias ou falsificar documentos.

5 – Fraudes românticas

Aplicativos e plataformas de namoro online são ambientes que os fraudadores usam para aplicar os golpes românticos. Depois de atrair a vítima, os criminosos passam a se comunicar com ela por mensagem privada nas redes sociais.

Imagem: Reprodução/Envato/insta_photos

Após estabelecer um vínculo de confiança com a vítima, os golpistas atuam até atingir seu objetivo: obter dinheiro. Em alguns casos, eles usam táticas de manipulação, como solicitar fotos íntimas e, em seguida, usá-las para extorquir as vítimas com ameaças de exposição do material.

Como se proteger

Algumas atitudes básicas podem ajudar na proteção contra golpes. A equipe da ESET preparou algumas dicas. Acompanhe!

  • Se receber mensagens não solicitadas de alguém que não conhece, tome cuidado — especialmente se elas contiverem links. A melhor opção é ignorar a mensagem e nunca clicar em links enviados por estranhos;
  • Uma das regras de ouro da internet é: "Se parece bom demais para ser verdade, provavelmente não é verdade". Então, encontrar produtos de edição limitada a um preço surpreendentemente baixo é pouco provável. Para tirar a dúvida, consulte o fabricante diretamente e verifique a autenticidade do item; 
  • Sempre que se deparar com uma oferta tentadora de bolsa de estudo, verifique se a organização que oferece a oportunidade é legítima — pode ser a partir de uma pesquisa na web ou por contato diretamente com o escritório da instituição. Nunca pague taxas sem antes falar com o estabelecimento;
  • O mesmo se aplica a vagas de emprego: faça uma busca rápida no site da empresa que oferece a posição para confirmar se ela realmente existe. Além disso, só forneça informações pessoais após a contratação;
  • Se começar a conversar com um estranho e, após algumas mensagens, ele passar a fazer declarações de amor, fique atento. Uma busca reversa pelas imagens da pessoa pode ajudar a descobrir se ela está se passando por alguém.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.