39% dos gamers brasileiros não se preocupam com segurança usando redes públicas

Por Redação | 19 de Janeiro de 2018 às 08h35

Segundo uma nova pesquisa da Kaspersky Lab, 39% dos gamers brasileiros dizem não tomar precauções de segurança ao usar redes públicas, ficando vulneráveis a invasões e roubo de dados quando usam senhas ineficientes. Ainda segundo o relatório, 32% das pessoas entre 25 e 34 anos no Brasil jogam online.

Cibercriminosos costumam vender contas invadidas de jogadores no mercado negro da internet e, por isso, preocupar-se com a segurança é algo muito importante. Contudo, um número perigoso de usuários acaba deixando suas contas online vulneráveis a invasões, arriscando perder a evolução do jogo, além de seus dados pessoais.

A estimativa é que o público que joga online, incluindo plataformas como Steam, PlayStation Network e Xbox Live, seja de algo entre 2,2 e 2,6 bilhões de pessoas, tornando este mercado um alvo para criminosos virtuais, constantemente em busca de senhas e informações de cartões bancários. Ataques bem-sucedidos causam um estrago e tanto na vida das vítimas, que têm suas contas roubadas, podem ter seus cartões de crédito usados por aí e acabam sofrendo emocionalmente, além de tudo.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Agravando o cenário, o estudo mostra que, embora cerca de 13% dos gamers usem o smartphone para jogar online, 22% dos jogadores contam com redes públicas de Wi-Fi para jogar, o que gera riscos à segurança. Afinal, essas redes não são muito protegidas, e a maior defesa do usuário, nesses casos, é a criação de senhas que sejam realmente seguras.

Para Andrei Mochola, chefe de negócios ao consumidor da Kaspersky, “é compreensível que os usuários de jogos online, tanto amadores quanto profissionais, se preocupem com a invasão de suas contas ou com a impossibilidade de acessá-las por ter esquecido suas senhas, e esse é um dilema que eles vivem todos os dias, sendo que muitos escolhem a opção menos segura, usando a mesma senha para todas as suas contas ou usando senhas simples, fáceis de serem adivinhadas pelos hackers".

Para saber se sua senha é realmente forte, ou se não vale a pena pensar em uma palavra-passe mais segura, você pode usar o Password Check, da Kaspersky, que informa o grau de segurança da palavra escolhida. Contudo, é importante não usar sua senha real para o teste, usando apenas senhas que você deseja usar no futuro para verificar se elas são realmente seguras.

A senha que criamos foi tão segura que para ser decifrada seria preciso 3 séculos usando um computador doméstico
Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.