Sistema de realidade aumentada permite "segurar" objetos

Por Nathan Vieira | 20 de Outubro de 2019 às 20h00
Reprodução/YouTube

Pesquisadores da Brown Unversity, dos Estados Unidos, desenvolveram um software de realidade aumentada chamado Portal-ble, em que os usuários podem visualizar objetos por meio de seus telefones e usar as mãos para segurar ou manipular esses objetos, como se fossem reais.

"A realidade aumentada será um ótimo novo modo de interação", diz Jeff Huang, professor assistente de ciência da computação que desenvolveu o sistema. “Queríamos criar algo que tornasse a realidade aumentada portátil para que as pessoas pudessem usar em qualquer lugar. Também queríamos que as pessoas pudessem interagir com o mundo virtual de maneira natural usando as mãos", explica.

Huang diz que a ideia para a interação prática do Portal-ble surgiu de alguma frustração com aplicativos de realidade aumentada como Pokemon GO. Basicamente, esses apps usam smartphones para colocar objetos virtuais (como personagens de Pokemon, no caso do jogo citado) no mundo real, mas interagir com esses objetos exige que os usuários interajam pela tela, somente. "Apenas não era uma maneira satisfatória de interagir", diz Huang. “No mundo real, interagimos com objetos com as mãos. Nós giramos maçanetas, pegamos e jogamos coisas. Por isso, pensamos que manipular objetos virtuais manualmente seria muito mais poderoso do que deslizar. Essa é a diferença do Portal-ble”, acrescenta.

Na prática, a plataforma utiliza um pequeno sensor infravermelho montado na parte traseira do smartphone. O sensor rastreia a posição das mãos das pessoas em relação aos objetos virtuais, permitindo pegar objetos, girá-los, empilhá-los ou largá-los, e também permite que as pessoas usem as mãos para virtualmente desenhar em cenários do mundo real. Como demonstração, Huang e seus alunos usaram o sistema para pintar um jardim virtual em um espaço verde no campus da universidade:

Huang diz que a principal contribuição técnica do trabalho foi o desenvolvimento das acomodações e ferramentas de feedback certas para permitir que as pessoas interajam intuitivamente com objetos virtuais. "Acontece que pegar um objeto virtual é realmente difícil se você tentar aplicar a física do mundo real", afirma o professor. “As pessoas tentam agarrar no lugar errado ou enfiam os dedos nos objetos. Então tivemos que observar como as pessoas tentavam interagir com esses objetos e, em seguida, tornar nosso sistema capaz de acomodar essas tendências", torna a explicar.

A equipe adicionou destaques visuais em objetos e vibrações do telefone para facilitar as interações. Huang diz estar surpreso que as vibrações do telefone ajudem os usuários a interagir. Os usuários sentem as vibrações na mão que estão usando para segurar o telefone, não na mão que está realmente agarrando o objeto virtual. Ainda assim, o feedback de vibração ajudou os usuários a interagir com mais sucesso com os objetos. Nos estudos de acompanhamento, os usuários relataram que o sistema tornava as tarefas significativamente mais fáceis, menos demoradas e mais satisfatórias.

Os pesquisadores planejam continuar trabalhando com o Portal-ble, expandindo sua biblioteca de objetos, refinando interações e desenvolvendo novas atividades. Eles também esperam otimizar o sistema para que ele funcione inteiramente em um smartphone.

Fonte: Futurity

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.