Conheça os robôs que fizeram das Olimpíadas de Tóquio a mais hi-tech de todas

Conheça os robôs que fizeram das Olimpíadas de Tóquio a mais hi-tech de todas

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 08 de Agosto de 2021 às 09h00
Reprodução/Toyota

Os Jogos Olímpicos sempre foram sinônimo de superação, a chance de conhecer os limites físicos de um ser humano. Mas, na Olimpíada de Tóquio 2020, que chega ao fim neste domingo (8), os robôs entraram em cena para mostrar ao mundo como a tecnologia vence seus próprios obstáculos, bate recordes e conquista o público na mesma velocidade.

Androides futuristas ajudam espectadores e atletas em locais de competição, transmitem imagens e simulam contato físico numa Olimpíada marcada pelo distanciamento social, com a torcida longe dos estádios, tentando participar da festa por meio de uma tela. É por isso que o Projeto Robô Tóquio 2020 vai muito além dos mascotes Miraitowa e Someity.

Os dois bots com cara de anime desenvolvidos pela Toyota foram projetados para dar boas-vindas e interagir com atletas e convidados durante os jogos. Com movimentos humanos, eles acenaram, apertaram mãos e mostraram todo o seu charme com centenas de expressões faciais programadas para cativar o público.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Conheça agora os demais robôs que deixaram a edição deste ano da Olimpíada mais tecnológica do que nunca:

T-HR3

Outro modelo humanoide é o T-HR3, criado para transmitir sons e imagens a quem não pode estar presencialmente nos jogos, permitindo até uma interação virtual com atletas. O robô também era capaz de espelhar movimentos para que as pessoas pudessem “sentir” a sensação de um cumprimento como se estivessem fisicamente no estádio.

T-TR1

O T-TR1 é um robô de mobilidade virtual, também desenvolvido pela Toyota. Com uma câmera sobre uma tela em tamanho real, o bot personificou espectadores à distância, permitindo que as pessoas “explorassem” os cenários dos jogos como um participante comum, mesmo estando a quilômetros dali.

FSR

Os Field Support Robots (FSR), ou Robôs de Suporte de Campo, em tradução livre, foram criados para ajudar a recolher objetos durante os jogos, como dardos, discos e bolas. O simpático robô-gandula tinha uma direção automática e sensores que evitavam obstáculos, auxiliando humanos a encontrarem itens arremessados à distância pelos atletas.

Cestinha

A cena de um robô que acerta a cesta de basquete durante o intervalo de um jogo viralizou na internet. O “cestinha” virou febre durante a Olimpíada ao fazer arremessos de longa distância e acertar o alvo com precisão milimétrica. Entre o posicionamento, o cálculo da trajetória e força necessária são apenas alguns segundos — Stephen Curry que se cuide!

E aí, qual robô de Tóquio 2020 conquistou o seu coração? Será que eles virarão tendência para os próximos jogos ou esta foi uma peculiaridade do país que entregou ao mundo robôs ícônicos em séries como Jaspion, Power RangersGundam e Medabots?

Fonte: COI,Toyota

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.