Estudantes criam robô para evitar que fazendeiros morram soterrados por grãos

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 24 de Junho de 2021 às 20h10
Reprodução/Grain Weevil

Dois estudantes de engenharia da Universidade de Nebraska Omaha, nos EUA, criaram um robô que promete ajudar os fazendeiros a não serem soterrados dentro de silos de armazenamento. Em 2020, 35 agricultores do país norte-americano ficaram presos nesses containers, e 20 deles morreram debaixo de toneladas de grãos.

O robozinho chamado Grain Weevil tem o tamanho de uma pequena mesa de centro com brocas de plástico giratórias na parte inferior que ajudam a mover os grãos para os lados. Com comandos via controle remoto, ele inspeciona toda a área do depósito, quebra as crostas de grãos aglomerados e nivela a superfície se ela estiver irregular.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“Um fazendeiro pode simplesmente deixar o robô fazer todo o trabalho e nunca mais se incomodar com isso. Eles podem ir embora fazer qualquer outra coisa sem se preocupar com as montanhas de grãos dentro dos silos”, afirma o engenheiro de software, Zane Zents, um dos criadores do robô.

Evitando acidentes

Os acidentes geralmente acontecem quando os fazendeiros entram nos silos para soltar os grãos, impedindo que eles fiquem aglomerados, umedeçam e acabem apodrecendo. Para fazer esse trabalho, os agricultores usam ferramentas que quebram os torrões, permitindo que eles sequem mais rapidamente, além de manter o estoque nivelado para otimizar o espaço de armazenamento.

O problema é que esses grãos podem ceder sob os pés das pessoas, fazendo com que elas fiquem parcial ou totalmente presas. Segundo um levantamento da Universidade Purdue, nos EUA, um em cada cinco acidentes em depósitos de grãos envolve crianças e adolescentes que moram nas fazendas.

“Não parece muito quando você olha os números isolados, mas essas mortes poderiam ser completamente evitadas. É algo com que não deveríamos estar lidando em pleno século 21, com tanta tecnologia presente no dia a dia de grandes e pequenas propriedades rurais espalhadas pelo país”, lembra Zents.

Ben Johnson e Zane Zents — criadores do Grain Weevil (Imagem: Reprodução/Grain Weevil)

Trabalho duro

Pesando pouco mais de 13 kg, o Grain Weevil pode realizar o trabalho de um adulto na metade do tempo e sem correr riscos. Mesmo se for soterrado acidentalmente, o robô é capaz de escalar até um metro e meio sob a montanha de grãos sem parar de funcionar ou perder a conexão com o controle remoto.

Os inventores também preparam uma versão autônoma do robô que poderá ser programada para trabalhar em conjunto com outros bots dentro dos silos. A ideia é aumentar a eficiência e ganhar tempo na realização das tarefas que serão automatizadas, sem a necessidade de um operador humano.

Robô pode "escapar" de soterramentos acidentais (Imagem: Reprodução/Grain Weevil)

Por enquanto, o robô ainda está em fase de testes em oito fazendas de Nebraska, Tennessee, Iowa e Arkansas. Durante esse período, os criadores vão coletar dados e ouvir os agricultores para entender como é a dinâmica e o fluxo de trabalho em cada propriedade, com diferentes tipos de grãos.

“Ainda não formalizamos o preço final do Grain Weevil, mas temos uma ideia geral e uma meta de algo em torno de US$ 4 mil (cerca de R$ 20 mil na conversão direta) por unidade. No entanto, existem muitos outros fatores que podem influenciar no valor final do robô”, encerra o estudante de engenharia elétrica, Ben Johnson, também criador do bot.

Fonte: Grain Weevil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.