Uber prevê queda de receita de até US$ 80 milhões no segundo trimestre

Por Felipe Ribeiro | 17 de Abril de 2020 às 11h57
PPLWare
Tudo sobre

Uber

Saiba tudo sobre Uber

Ver mais

Uma das empresas mais afetadas pela crise causada pela pandemia do novo coronavírus, a Uber tomou algumas atitudes para se preparar para os próximos meses. A gigante dos transportes simplesmente retirou todas as suas previsões e diretrizes financeiras para 2020, porque, com a volatilidade que o mercado apresenta, é praticamente impossível traçar metas e perspectivas no futuro próximo. Apesar disso, a reação na bolsa de valores e entre os acionistas foi positiva, mesmo com a estimativa de queda de receita podendo chegar a US$ 80 milhões no segundo trimestre.

Segundo o CEO da empresa, Dara Khosrowshahi, apesar de a demanda ter caído em até 70% em grandes cidades e 94% em outros locais, no pior cenário possível, a companhia deve reter em caixa algo perto de US$ 4 bilhões até o final do ano. Após essa afirmação e o anúncio da remoção das diretrizes orçamentárias, o valor das ações da Uber na Bolsa de Nova Iorque subiram 43%.

Prejuízo aumenta

A previsão da queda na receita da Uber é alarmante. De acordo com a empresa, ao final do primeiro trimestre, estima-se que as perdas devam ficar entre US$ 17 milhões e US$ 22 milhões. Já no segundo trimestre, a coisa piora: US$ 60 milhões a US$ 80 milhões de queda.

Os motivos, segundo a Uber, são as iniciativas para aliviar os efeitos da pandemia, sobretudo para os motoristas cadastrados na plataforma: para auxiliá-los, a empresa iniciou um programa de assistência financeira que também contempla os entregadores do Uber Eats. Além disso, haverá cortes em investimentos considerados secundários por meio de uma manobra fiscal chamada "encargo de depreciação", que, na prática, fará com que as perdas aumentem mais no primeiro trimestre (perto de US$ 2 bilhões no papel), mas que não afetem o segundo.

Esses investimentos nada mais são do que participações minoritárias em startups de transporte, compartilhamento de viagens e entrega de alimentos, como Didi, Grab Yandex e Zomato.

A Uber deve anunciar tudo detalhadamente no dia 7 de maio.

Fonte: The Next Web

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.