Netflix tem queda nas assinaturas no 2º trimestre após aumento dos preços

Por Felipe Ribeiro | 17 de Julho de 2019 às 21h50
Divulgação/Netflix
Tudo sobre

Netflix

Saiba tudo sobre Netflix

Ver mais

Pela primeira vez em oito anos, a Netflix perdeu assinantes nos Estados Unidos. Segundo relatório da empresa, foram 130 mil usuários a menos no segundo trimestre de 2019 e 2 milhões a menos mundialmente. Com esses números, as ações da empresa despencaram mais de 12% no pregão do dia.

A companhia informou que essa queda é resultado de um catálogo fraco de lançamentos no período analisado. Os aumentos de preço também prejudicaram as adições de assinantes. A Netflix havia relatado uma queda pela última vez no terceiro trimestre de 2011, depois de separar seus serviços de DVD por correio e streaming.

Os assinantes pagos, no entanto, cresceram em 2,7 milhões, sendo 2,83 milhões internacionalmente. Mas este crescimento, porém, foi quase metade em comparação ao mesmo período do ano passado, que foi de 5 milhões de adições líquidas (300.000 nos EUA e 4,7 milhões no segmento internacional). A Netflix tinha 151,6 milhões de assinantes no final de junho.

A empresa espera se recuperar no terceiro trimestre, revelando uma projeção de 800 mil adições líquidas nos EUA e 6,2 milhões internacionalmente. "Os consumidores em todo o mundo continuam a migrar da televisão comum para o entretenimento na internet a um ritmo notável", disse a empresa, em sua carta aos acionistas.

Os preços, citados acima como uma das justificatvas, sofreram aumentos leves. Por exemplo: nos EUA, o plano padrão com duas transmissões simultâneas em HD subiu de US$ 10,99 (R$ 42) para US$ 12,99 (R$ 49). A empresa também implementou aumentos de preços em toda a Europa, incluindo no Reino Unido, Espanha, França, Irlanda e Alemanha. No Brasil, os aumentos aconteceram em março, com os planos passando a custar mensalmente de R$ 21,90 (Básico) a R$ 45,90 (Premium, com direito a quatro telas simultâneas e Ultra HD), sendo que antes os valores eram R$ 19,90 e R$ 37,90, respectivamente

Mesmo culpando uma linha de conteúdo sem muitos lançamentos, a Netflix elogiou os índices de audiência — mais uma vez — por alguns títulos escolhidos seletivamente que foram lançados no segundo trimestre.

Em termos de receita, a Netflix registrou US$ 4,92 bilhões (R$ 18,5 bilhões), comprovanto as projeções dos analistas de Wall Street. O ganho por ação foi de US$ 0,60 (R$ 2,26).

O relatório completo das finanças do Netflix no segundo trimestre pode ser acessado aqui.

Fonte: Variety

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.