Netflix tem queda nas assinaturas no 2º trimestre após aumento dos preços

Por Felipe Ribeiro | 17 de Julho de 2019 às 21h50
Divulgação/Netflix

Pela primeira vez em oito anos, a Netflix perdeu assinantes nos Estados Unidos. Segundo relatório da empresa, foram 130 mil usuários a menos no segundo trimestre de 2019 e 2 milhões a menos mundialmente. Com esses números, as ações da empresa despencaram mais de 12% no pregão do dia.

A companhia informou que essa queda é resultado de um catálogo fraco de lançamentos no período analisado. Os aumentos de preço também prejudicaram as adições de assinantes. A Netflix havia relatado uma queda pela última vez no terceiro trimestre de 2011, depois de separar seus serviços de DVD por correio e streaming.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Os assinantes pagos, no entanto, cresceram em 2,7 milhões, sendo 2,83 milhões internacionalmente. Mas este crescimento, porém, foi quase metade em comparação ao mesmo período do ano passado, que foi de 5 milhões de adições líquidas (300.000 nos EUA e 4,7 milhões no segmento internacional). A Netflix tinha 151,6 milhões de assinantes no final de junho.

A empresa espera se recuperar no terceiro trimestre, revelando uma projeção de 800 mil adições líquidas nos EUA e 6,2 milhões internacionalmente. "Os consumidores em todo o mundo continuam a migrar da televisão comum para o entretenimento na internet a um ritmo notável", disse a empresa, em sua carta aos acionistas.

Os preços, citados acima como uma das justificatvas, sofreram aumentos leves. Por exemplo: nos EUA, o plano padrão com duas transmissões simultâneas em HD subiu de US$ 10,99 (R$ 42) para US$ 12,99 (R$ 49). A empresa também implementou aumentos de preços em toda a Europa, incluindo no Reino Unido, Espanha, França, Irlanda e Alemanha. No Brasil, os aumentos aconteceram em março, com os planos passando a custar mensalmente de R$ 21,90 (Básico) a R$ 45,90 (Premium, com direito a quatro telas simultâneas e Ultra HD), sendo que antes os valores eram R$ 19,90 e R$ 37,90, respectivamente

Mesmo culpando uma linha de conteúdo sem muitos lançamentos, a Netflix elogiou os índices de audiência — mais uma vez — por alguns títulos escolhidos seletivamente que foram lançados no segundo trimestre.

Em termos de receita, a Netflix registrou US$ 4,92 bilhões (R$ 18,5 bilhões), comprovanto as projeções dos analistas de Wall Street. O ganho por ação foi de US$ 0,60 (R$ 2,26).

O relatório completo das finanças do Netflix no segundo trimestre pode ser acessado aqui.

Fonte: Variety

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.