Facebook obtém receita de US$ 15 bilhões no 1º trimestre de 2019

Por Se Hyeon Oh | 24 de Abril de 2019 às 20h50
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

Nesta quarta-feira (24), o Facebook revelou seus resultados financeiros relacionados ao primeiro trimestre de 2019. Apesar dos problemas que a empresa vem enfrentando, ele conseguiu superar as expectativas de Wall Street e ainda anunciou que está guardando caixa para uma multa que será exigida pela Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês), dos EUA, a qual espera-se que gire em torno dos US$ 3 a 5 bilhões.

Caso ele se concretize, será a maior multa aplicada pela FTC na história e está relacionada com o escândalo de 2018 envolvendo a Cambridge Analytica, com a rede social sendo acusada de permitir o uso indevido de informações de seus usuários. Além disso, a companhia de Zuckerberg está sendo responsabilizada pela disseminação de ódio dentro da plataforma, que culminou no genocídio de Mianmar.

De acordo com o Facebook, caso a multa não fosse considerada, seu lucro por ação teria atingido a marca de US$ 1,89 — significativamente mais alto do que a expectativa dos analistas de US$ 1,62. As ações do Facebook subiram cerca de 5% após a divulgação do resultado financeiro, para US$ 192 por ação.

Com relação à receita, a empresa afirma ter obtido US$ 15,08 bilhões, um valor superior aos US$ 14,97 bilhões que eram esperados. Ainda, ele demonstra uma alta de 26% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os lucros por ação (conhecidos como GAAP) registraram um valor de US$ 0,85 — menor do que os US$ 1,62 estimados.

Paralelamente às informações pertinentes ao seu desempenho financeiro, o Facebook revelou também que foram registrados 1,56 bilhão de usuários ativos diariamente na rede social (o que está de acordo com as expectativas) e 2,38 bilhões de usuários ativos mensais, sendo este número um pouco maior do que os 2,37 bilhões esperados. Dessa forma, somando todos os usuários ativos diariamente nas suas plataformas sociais, a empresa registrou a marca de 2,1 bilhões de usuários ativos diários (maior do que os 2 bilhões previstos), enquanto os usuários ativos mensais mantiveram-se em 2,7 bilhões.

Os dados divulgados pelo Facebook também mostram que a rede social começou a apresentar crescimento da sua base de usuários na Europa novamente, depois de ter sofrido algumas perdas no ano passado.

Pelo visto, a empresa de Zuckerberg está superando, aos poucos, os escândalos que a envolvem. Isso pode ser notado, principalmente, com as suas ações que estavam valendo em torno de US$ 183 a unidade antes do anúncio dos lucros. O número é um pouco menor do que os US$ 218 vistos em julho de 2018, mas está bem acima da marca de US$ 123 registrados em dezembro.

Ao que tudo indica, o principal foco dos investidores está no Instagram, que possui ferramentas de publicidade em ascensão, como os Stories, permitindo um crescimento contínuo mesmo quando os negócios do aplicativo principal, o Facebook, diminuem.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.