Alavancado por podcasts, Spotify tem aumento de 31% de usuários em 2019

Por Rafael Arbulu | 05 de Fevereiro de 2020 às 13h59
9to5mac
Tudo sobre

Spotify

Saiba tudo sobre Spotify

Ver mais

A plataforma sueca de streaming musical Spotify está feliz da vida. No relatório fiscal do último trimestre de 2019 divulgado nesta quarta-feira (5), a companhia revelou um crescimento de 31% no número de usuários mensais ativos (MAUs), atingindo a marca de 271 milhões de consumidores. No trimestre anterior, esse número era de 248 milhões e, em 2018, era de 207 milhões.

Essa curva para cima tem um “culpado”: o mercado de podcasts. Desde que passou a apelar para o público cativo desse tipo de conteúdo, o Spotify vem registrando bons índices de crescimento. No relatório divulgado pela empresa, há ainda a ressalva de que essa linha de produtos está ajudando a converter usuários gratuitos em assinantes pagantes, com crescimento de 29% de incursão de consumidores premium ano a ano (10% na medição trimestre a trimestre).

Em termos financeiros, o Spotify registrou receita de US$ 2 bilhões — alta de 24% em relação a 2018. Mais além, a situação positiva se mantém mesmo diante do crescente prejuízo operacional: o Spotify registrou gastos de US$ 84 milhões, no que justificou como “aumento anual de custos de operação” e “uma demanda maior do que a esperada” em taxas de folha de pagamento.

Spotify registrou um aumento de 31% de usuários ativos mensais em 2019, um crescimento histórico para a empresa

Nem só de música vive o homem…

Grande parte desse crescimento do Spotify se deve à plataforma abraçar — e ajudar a popularizar — o mercado de podcasts. Antes relegado a uma posição de nicho, os criadores de conteúdo viram no Spotify uma via de acesso a um público massificado, começando a postar os episódios de seus shows na plataforma assim que ela lhes deu esse suporte. O Spotify também enxergou isso com bons olhos, trabalhando ao longo de todo o ano passado para adquirir estúdios do mercado e começar a produzir próprio conteúdo.

De acordo com a empresa, no terceiro trimestre de 2019, cerca de 14% de sua base de usuários ouviram a algum podcast pela plataforma. Esse número aumentou para 16% no trimestre seguinte, totalizando cerca de 200% de aumento nas horas dedicadas totais à escuta desse tipo de conteúdo. Mais além, o Spotify estabeleceu, dentro de seu app, uma clara divisão entre músicas e podcasts, o que facilitou a busca e identificação por programas do tipo.

O setor de podcasts foi o maior responsável pelo crescimento do Spotify em 2019, até mesmo indicando ser um fator decisivo na hora de converter usuários de planos gratuitos em usuários pagantes

“Nós temos um volume crescente de evidências que mostram que há benefícios significativos de engajamento, retenção e conversão de usuários da nossa versão suportada por anúncios [assinatura gratuita] para o premium [assinatura paga], advindo do consumo de conteúdos de podcast”, disse a companhia. “Temos visto benefícios na retenção em várias centenas de pontos, o que é uma mudança material na curva de retenção, para usuários que se engajam em conteúdo falado em relação a aqueles que não o fizeram, e dados primários indicam que estes usuários são mais propensos a migrar para planos premium com o passar do tempo”.

A grosso modo, o que o Spotify está dizendo é que os dados de seus usuários lhes deram uma compreensão do comportamento de fãs de podcast: basicamente, eles odeiam anúncios intrusivos — algo comum no plano gratuito da empresa — e preferem adotar planos pagos para se livrarem de publicidades que quebrem a imersão em conteúdos falados, como podcasts.

O Spotify ainda sinalizou a continuidade dos investimentos neste setor, citando “evidências tangíveis” de que a ideia está dando certo.

Fonte: Spotify

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.