YouTuber é sentenciado a 10 anos de prisão por incentivo à pornografia infantil

Por Rafael Arbulu | 06 de Maio de 2019 às 16h07
(Imagem: Austin Jones, via YouTube)

O ex-youtuber e personalidade da internet Austin Jones, de 24 anos, foi condenado a 10 anos de prisão pelas autoridades do estado de Illinois, nos EUA, por incentivo e receptação de pornografia infantil. Ele, que fez sucesso na rede social de vídeos da Google publicando canções cantadas a capella, admitiu ter coagido meninas de diversas idades adolescentes a lhe enviarem vídeos pelo Facebook Messenger e iMessage, o serviço de mensagens instantâneas de dispositivos iOS.

Os primeiros relatos de abuso infantil cometidos por Jones chegaram em 2015, contudo, à época, o influencer negou que tivesse cometido tais atos, limitando-se apenas a confirmar as acusações em um vídeo. Entretanto, dois anos mais tarde, em 2017, ele chegou a ser preso pelas mesmas acusações, quando efetivamente admitiu sua culpa, dizendo que solicitava vídeos pornográficos a menores, sob promessas de ações nas redes sociais.

A acusação pública contém detalhamento escrito das situações — o qual não publicaremos aqui — dando conta de pedidos de vídeos de danças sensuais às menores, sugerindo peças de roupas e forçando-as a continuar enviando material mesmo quando elas se mostravam cansadas ou desconfortáveis.

Austin agora passará uma década encarcerado. O agente responsável pelo caso, James Gibbons, disse que “a sentença de Austin Jones representa um passo à frente para a justiça e para as jovens vítimas que ele manipulou e explorou”.

Fonte: The Verge; Acusação (via Scrib'd)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.