Instagram Lite chega ao Brasil e ocupará apenas 2MB de espaço no smartphone

Por Rui Maciel | 13 de Abril de 2021 às 06h00
Divulgação / Facebook

O Instagram anunciou nesta terça-feira (13) a chegada ao Brasil da versão Lite da sua rede social. Pensado para smartphones com configurações mais modestas e para regiões que contam, majoritariamente, com acesso às redes 2G e 3G - além de planos de dados limitados - o aplicativo ocupa apenas de 2 MB de espaço de aparelho do usuário.

Instagram Lite: tamanho de apenas 2MB e pensado para países emergentes (Imagem: Divulgação / Facebook)


Segundo Gal Zellermayer, Gerente de Engenharia de Software do Instagram, boa parte dos recursos da versão Lite da rede social não é executada no celular do usuário e sim nos servidores do Facebook. Isso permite que o app seja mais leve que a edição full do "Insta":

"O tamanho do aplicativo tem um impacto direto na experiência do usuário, afetando as velocidades de download, as contas de internet móvel e o desempenho do aplicativo.  Para chegar a um tamanho de aplicativo de 2 MB, a equipe de engenharia implementou a arquitetura ‘hin client, com grande parte do processamento acontecendo no lado do servidor e não do cliente", explicou Zellermayer.

Além disso, criamos ferramentas que ajudam os desenvolvedores a entender o impacto das alterações de código no tamanho do aplicativo. Por exemplo, um bot chamado BuildBot cria uma versão do aplicativo após cada alteração de código e a compara com a versão anterior, sinalizando qualquer aumento de tamanho impactante. Outra técnica que a equipe usou foi decompor os pacotes Java subjacentes e identificar o que era realmente útil versus o que poderia ser descartado e reconstruído do zero", completa. 

Já Nicholas Brown, Gerente de Produto do Instagram global, afirma que o app traz uma experiência bastante semelhante à edição padrão do "Insta", executando a maioria dos recursos presentes na versão full da rede social. Isso inclui a possibilidade de mandar mensagens diretas via DM e também gravar e publicar vídeos.

Já as funcionalidades que não são suportadas atualmente são:

  • Transmissões ao vivo
  • Instagram Shopping
  • A criação de Reels - esse recurso está previsto para chegar nos próximos meses.
  • Para conteúdos do IGTV, apenas a pré-visualização do vídeo poderá ser vista
  • Algumas ferramentas e filtros para o Stories

No entanto, durante a coletiva, os representantes do Instagram afirmaram que seus desenvolvedores estão trabalhando para adicionar esses recursos ao aplicativo à versão Lite o mais rápido possível.

Pensado para países emergentes

O Brasil será um dos 170 países a contar com o Instagram Lite, entre eles Índia, Indonésia, Filipinas, Egito e Turquia. O app foi pensando nos chamados mercados emergentes (incluindo comunidades rurais e regiões remotas), que contam com as seguintes características segundo um levantamento da rede social:

  • Fragmentação de dispositivos e modelos defasados: os usuários em mercados emergentes normalmente compram dispositivos mais baratos, que possuem uma ampla gama de especificações. Para enfrentar esse desafio, o Facebook criou uma estrutura de código aberto para classificar os dispositivos e segmentá-los em categorias com base em seus recursos de hardware - isso permitiu à equipe observar que mais de 50% das pessoas no mundo todo estão comprando atualmente dispositivos que seriam considerados de ponta em 2012.

  • Tipos de rede e banda larga: em mercados emergentes, uma proporção significativa de pessoas não possuem acesso à internet Wi-Fi de alta velocidade. Isso significa que eles dependem de sua conexão móvel, que normalmente não passa de 2G/3G. Por exemplo, em 2020, 45% dos usuários na Índia e 53% dos usuários na África ainda estavam em uma conexão 2G apenas, enquanto na América do Sul essa porcentagem é de 23%.

  • Planos de dados: nas economias em desenvolvimento, os planos de dados são muito caros e limitados a dezenas ou centenas de MBs. Os usuários frequentemente desligam suas conexões de dados e contam com o compartilhamento de arquivos P2P via Bluetooth para enviar informações entre dispositivos. Como consequência, eles não atualizam seus aplicativos para as versões mais recentes e param de usar a Internet quando estão sem dados. É por isso que o aplicativo Instagram Lite deve minimizar o uso de dados como uma prioridade.

  • Comportamento do usuário: muitas pessoas destes países estão acessando serviços de Internet pela primeira vez. Portanto, as suposições e conceitos comuns de países onde a Internet foi estabelecida há décadas não se aplicam necessariamente. Por exemplo, fornecer descrições de texto curtas ao lado dos botões comumente usados ​​para postagens, fotos e check-in proporcionou um grande aumento na atividade no aplicativo.

Haverá um modelo de negócios focado em publicidade?

Durante a coletiva, o Canaltech perguntou à Beatriz Bottesi, Head de Marketing do Instagram, como funcionará o modelo de publicidade do Instagram Lite no Brasil e nos outros países em que o app estará presente. A executiva afirmou que, inicialmente, anúncios não fazem parte desta versão do app. Além disso, não há uma previsão de quando a geração de receitas a partir de publicidade fará parte da plataforma.

O Instagram Lite suporta mensagens via DM e gravação de vídeos. Mas não faz transmissões ao vivo ou permite a criaçãos dos Reels (Imagem: Divulgação / Facebook)

E quando o Instagram Lite estará disponível no Brasil?

O Instagram Lite ficará liberado para download no Brasil a partir da próxima quarta-feira (14). Ele estará disponível somente para dispositivos Android, na Google Play Store, Ainda não há uma previsão de quando - ou se - haverá uma versão para o iOS (iPhones).

Leia também:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.