Instagram | Jovens trocam privacidade por métricas ao usar perfil comercial

Por Felipe Ribeiro | 29 de Julho de 2019 às 15h15
Pixabay
Tudo sobre

Instagram

Saiba tudo sobre Instagram

Ver mais

Milhões de jovens estão transformando suas contas pessoais do Instagram em perfis "comerciais" para saber mais sobre o desempenho de suas postagens. Isso, no entanto, tem um efeito colateral importante: para ser classificado como um negócio na rede social, os usuários concordam em fornecer seu número de telefone ou e-mail para o público no aplicativo.

De acordo com David Stier, cientista de dados independente que relatou o problema à empresa e conduziu uma análise abrangente de 200.000 contas com várias técnicas de amostragem diferentes, essa escolha, facilitada pelo design e estímulo do Instagram, pode colocar em risco a privacidade não apenas do usuário em questão, mas de toda sua rede de contatos.

"Vou falar com os pais e digo: 'Você sabia que, se seu filho de 13 anos transforma sua conta do Instagram em uma conta comercial, mais de 1 bilhão de pessoas têm acesso às informações de contato?", disse Stier, em entrevista a Bloomberg. “Qualquer um com quem falo, reage: 'Você está brincando?'”

Muitos sites de mídia social, incluindo o Instagram, definem a idade mínima aos 13 anos, uma regra que muitos adolescentes e até mesmo crianças mais jovens regularmente desprezam para se inscrever.

Nas configurações do Instagram, há uma opção chamada "Obter mais ferramentas". Se os usuários clicarem no link, eles serão perguntados se são "criadores" ou "negócios". Depois de dizerem que tipo de usuário são, será necessário dizer quais informações de contato eles querem exibir. Em seguida, eles são recompensados ​​com uma série de gráficos sobre como estão se saindo no Instagram, incluindo os dias e horários em que as pessoas visualizam suas postagens, quais foram as mais populares e com que frequência e por qual gênero seu perfil é visto.

"Qualquer um pode converter sua conta do Instagram em um perfil de negócios", disse o Instagram, em um comunicado. “Permitimos isso porque queremos que qualquer pessoa no Instagram possa começar um negócio, se quiser. Durante o processo de configuração, lembramos às pessoas que suas informações de contato estarão acessíveis a outras pessoas e permitirão que atualizem ou ocultem essas informações”, completou.

Stier verificou as idades das pessoas por meio de informações exibidas nas biografias ou nos perfis dos usuários. Ele disse que viu adolescentes dizerem que seus perfis eram "sem fins lucrativos" ou "atletas". Mas, ao analisá-los, descobriu que uma parte significativa deles não eram empresas, mas pessoas comuns, às vezes com meras centenas de seguidores.

Depois que ele relatou o problema para o Facebook, o Instagram tornou as informações de contato menos visíveis. Mas a empresa disse que não considerou suas descobertas uma vulnerabilidade de segurança porque os usuários fizeram suas próprias escolhas sobre quais informações exibir, de acordo com uma troca de e-mails obtida pelo site do canal Bloomberg.

O cientista argumentou que, apesar dessa escolha, o Instagram poderia proteger a privacidade dos usuários. É possível enviar e-mails e ligar para pessoas sem exibir os detalhes pessoais deles. Muitas empresas usam formulários de contato, por exemplo, ou e-mails anônimos. Instagram poderia fazer o mesmo para menores, ele disse.

Quando as pessoas se inscrevem para obter ferramentas do Instagram para empresas, a rede social não verifica se elas são quem elas dizem ser. O Instagram, por sua vez, tornou as diferenças entre os perfis profissionais e pessoais bem sutis, porque muitas pessoas comuns usam seus perfis para fins econômicos.

Fonte: Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.