Fundador do Twitter acredita que centralização estragou a internet

Fundador do Twitter acredita que centralização estragou a internet

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 04 de Abril de 2022 às 18h25
Fortune

O fundador ex-CEO do Twitter, Jack Dorsey, publicou um tuíte no qual critica a centralização da internet e pede desculpas por ter sido um dos culpados por esse movimento. Segundo ele, a centralização nas corporações teria danificado a web.

A atitude surpreendeu porque não é todo dia que um dos executivos mais conhecidos do mundo admite ter participado de algo nocivo. É de se supor, porém, que ele nunca faria isso se ainda estivesse no comando do Twitter.

A rede social do passarinho comprou diversos serviços ao longo da história, como Periscope, Threader e Revue. Essa é uma das táticas mais comuns na internet atual: em vez de desenvolver soluções próprias, você apenas adquire os concorrentes.

Dorsey deixou o comando do Twitter em novembro de 2021, após 16 anos à frente da empresa. Até então, os trabalhos dele permanecem sem divulgação, mas especula-se serem algo relacionado a blockchain. Ele é um dos maiores entusiastas do segmento e responsável por levar recursos de NFTs e criptomoedas para o ecossistema do Twitter.

Além disso, atua como CEO da Block, anteriormente conhecida como Square, empresa que mudou de nome quando ele deixou o comando do Twitter. A Block, como o nome sugere, está vinculada a projetos na área de cripto e inovação.

Reflexão necessária

Parece que o tempo afastado fez com que o executivo refletisse sobre temas importantes. A centralização da web é vista por muitos como um fenômeno prejudicial porque limita a criatividade, afinal toda empresa que ameaça o legado de uma gigante acaba comprada ou abafada.

Com isso, um seleto grupo de Big Techs passou a dominar o cenário tecnológico e a ditar os rumos da internet. Essa seria uma das causas pela qual o modelo de redes sociais se mantém vivo, mesmo após mais de 15 anos de existência e inovações limitadas.

Hoje, a chamada Web 3.0 é uma das tentativas de quebrar esse padrão centralizado, com forte apelo ao blockchain, moedas digitais e outras iniciativas para tirar um pouco do poder de cima das grandes corporações. Embora o segmento ainda seja marcado por muitos golpes e pessoas que querem enriquecer da noite para o dia, há perspectiva de uso do modelo para outras aplicações, como transação de dados seguros e identificação digital de pessoas.

Fonte: Jack Dorsey  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.