Falha no LinkedIn leva à divulgação de 80 mil vagas inexistentes

Por Nathan Vieira | 09 de Outubro de 2019 às 17h10
Tudo sobre

LinkedIn

Saiba tudo sobre LinkedIn

Ver mais

Os candidatos que utilizam o LinkedIn em busca de vagas tomaram um banho de água fria. Acontece que, na semana passada, mais precisamente no dia 1º de outubro, uma falha levou o LinkedIn à divulgação de nada menos que 80 mil vagas que simplesmente não existiam. A causa do erro foi a replicação das posições da plataforma InfoJobs.

Na verdade, essas 80 mil vagas eram de diversas empresas contratantes, mas, na divulgação do LinkedIn, todas ficaram creditadas ao Grupo Tejofran. Os funcionários do Grupo se depararam com uma situação excêntrica: uma enxurrada de currículos e telefonemas referentes às vagas tomaram conta da empresa, e foram pegos de surpresa ao perceber que algumas das candidaturas eram referentes aos seus próprios cargos. No entanto, caso o usuário acessasse as vagas, seria direcionado à página do Infojobs, onde as informações estavam certas. Atualmente, essas 80 mil oportunidades de emprego não estão mais disponíveis no LinkedIn.

A Folha de S. Paulo traz o seguinte posicionamento do LinkedIn, referente ao ocorrido: "O LinkedIn possui ferramentas de monitoramento e um time dedicado a prevenir e remover ofertas de emprego falsas. Também incentivamos os nossos usuários a denunciarem quaisquer mensagens ou postagens de vagas que considerem fraudulentas".

LinkedIn, rede social usada para criar conexões profissionais e descobrir vagas de emprego

Por sua vez, a Infojobs também resolveu se pronunciar: “As vagas publicadas podem ser compartilhadas em redes sociais ou sites agregadores para aumentar a visibilidade da oportunidade. Nesse caso, identificamos um problema e solicitamos a remoção imediata das vagas. Apesar da questão já ter sido resolvida, continuaremos investigando a origem das publicações para que medidas apropriadas sejam tomadas e evitarmos casos similares. Temos um compromisso com a ética e respeitamos incondicionalmente nossos clientes e candidatos. Portanto, reiteramos que as vagas publicadas no site InfoJobs são verdadeiras. As empresas anunciantes passam por uma análise de qualidade dedicada e, caso as informações não sejam compatíveis, são bloqueadas".

Essa não é a primeira falha que envolve a rede social destinada a alavancar a carreira e descobrir vagas de emprego. Em julho, um usuário do LinkedIn descobriu uma falha grave na plataforma: ele conseguiu criar uma série de vagas de emprego falsas que ficaram na página inicial como se fossem verdadeiras, sem que a rede social realizasse nenhum tipo de revisão ou aprovação prévia. As duas vagas falsas apareceram tanto nas páginas de negócios do LinkedIn, juntamente com suas outras vagas de emprego, quanto na própria barra de pesquisa de emprego do LinkedIn. Não foi necessário nenhum processo de aprovação para que a vaga fosse colocada lá.

A equipe do Canaltech entrou em contato com o LinkedIn para obter mais informações sobre o ocorrido: "Um de nossos sites de emprego parceiro fez uma mudança recente em seu site e por conta disso, as vagas publicadas foram redirecionadas para a página de empresa incorreta no LinkedIn. Embora tenhamos resolvido esse problema e sejam vagas legítimas, as removemos de nossa plataforma para evitar confusão. Estamos comprometidos em oferecer uma experiência segura e confiável para quem busca emprego no LinkedIn e estamos trabalhando com nossos parceiros para evitar que casos similares ocorram no futuro", afirmou a empresa.

Fonte: Folha de S. Paulo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.