Facebook torna verificação de segurança de usuários permanente

Por Redação | 22 de Agosto de 2017 às 09h24
photo_camera Divulgação

O Facebook anunciou nesta segunda-feira (21) que o serviço de verificação de segurança de seus usuários será permanente tanto no aplicativo móvel quanto na web. Além disso, a rede social simplificou a maneira de os usuários verificarem se seus amigos estão registrados como "seguros", seja por conta de um desastre natural ou por algum tipo de evento perigoso.

O recurso de verificação de segurança agora fica disponível em uma aba própria, ao lado das abas de páginas, grupos, eventos, amigos e outras categorias. "A verificação de segurança ajuda a nossa comunidade a permitir que os entes queridos saibam que eles estão seguros durante uma crise, os encontrem e ajudem, além de aprender mais sobre uma crise", explicou o Facebook. "Agora há um único lugar para ver onde a verificação de segurança foi ativada recentemente, obter as informações que você precisa e potencialmente ajudar as áreas afetadas".

Ao acessar a verificação de segurança de usuários através da nova aba, é possível visualizar um feed de desastres e atualizações de amigos que se marcaram como seguros através da ferramenta. Uma seção revela todas as regiões do mundo onde a verificação de segurança foi ativada recentemente.

O recurso de segurança foi adotado pelo Facebook há cerca de três anos, permitindo que as pessoas pudessem verificar a situação de seus amigos e familiares durante desastres naturais. Com o tempo, a rede social estendeu o serviço para cobrir casos envolvendo atos de violência e ataques terroristas, disponibilizando-o em 2015, durante os atentados em Paris. Neste ano, a funcionalidade ganhou um novo botão para usuários interessados oferecerem assistência e suprimentos às pessoas afetadas por um desastre ou crises humanitárias.

A mudança já está sendo disponibilizada a todos os usuários e deve ser concluída dentro das próximas semanas. A ideia Facebook em dar mais importância ao serviço de verificação de segurança de seus usuários chega depois da crescente onda de ataques terroristas na Europa, incluindo o atropelamento ocorrido em Barcelona.

Fonte: TechCrunch