Facebook pede desculpas por censurar foto de vítima de queimaduras

Por Redação | 11.11.2016 às 10:10

Após remover a foto de um sobrevivente de queimaduras graves da sua plataforma, o Facebook pediu desculpas. O caso aconteceu quando a imagem do ex-bombeiro sueco Lasse Gustavson foi postada por um amigo e depois censurada pela rede social.

Gustavson ficou com diversas cicatrizes no rosto após combater um incêndio quando tinha vinte anos de idade. Seu amigo, Bjorn Lindeblad, publicou uma foto atual do sueco, que agora está com 60 anos, para lhe desejar feliz aniversário. Para sua (infeliz) surpresa, o Facebook simplesmente removeu a imagem.

Lindeblad repostou a foto, mas ela foi excluída novamente. Em resposta à ação da rede social, ele escreveu um texto explicando a situação e pedindo que os usuários ajudassem a espalhar a foto, que agora já foi compartilhada mais de 20.000 vezes.

“Você gostaria de me ajudar a protestar contra a desagradável política do Facebook? Então por favor compartilhe e divulgue essa foto de uma das almas mais bonitas que eu conheço. Eu estou postando isso no Facebook pela terceira vez em 36 horas. O Facebook já removeu a foto duas vezes sem explicação. E eles até mesmo bloquearam minha conta“, diz a publicação.

O homem disse ainda que após a repercussão do caso, diversas outras vítimas de queimadura o procuraram para dizer que já haviam sofrido com o mesmo problema e que, frequentemente, suas fotos com as cicatrizes são classificadas como sexistas e racistas no Facebook.

Um porta-voz da rede social disse que britânico The Huffington Post que a imagem havia sido removido por engano. Ele disse ainda que a empresa havia entrado em contato com Lindeblad para pedir desculpas pelo ocorrido.

Já o homem que aparece na foto disse que não deixou que isso abalasse a comemoração do seu aniversário. "Se eu ainda tivesse 24 anos, provavelmente estaria me sentindo ofendido e chateado por considerarem minhas fotos erradas e desagradáveis. Mas agora eu já vivi muito tempo com as minhas queimaduras", disse o ex-bombeiro.

Fonte: The Huffington Post