Facebook trabalha em medidas para proteger crianças contra pedofilia

Por Felipe Ribeiro | 18 de Outubro de 2019 às 14h30
Maskot/ Getty Images
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

O Facebook está trabalhando em políticas de segurança com foco na proteção de crianças. De acordo com Antigone Davis, chefe global de segurança da rede social, a empresa vem desenvolvendo maneiras de proteger os mais jovens contra ataques de pedófilos, além de avançar com seus planos de criptografia, anunciados por Mark Zuckerberg, no início deste ano.

Em entrevista ao Financial Times, Davis disse que o objetivo do Facebook é mudar seu foco para medidas preventivas - maneiras de impedir que predadores entrem em contato com as vítimas pretendidas - desde a sinalização e remoção de conteúdo. "Quando você encontra o conteúdo significa que o problema já foi causado. Então, temos que impedir que este tipo de coisa seja compartilhada ou, criada, em primeiro lugar. Portanto, como pensamos sobre isso, como podemos paramos essas conexões?", disse ela.

A rede social pode começar a acompanhar de perto as contas que fazem uma série de solicitações de bate-papo com menores com quem não estão conectados ou com parte de grupos suspeitos. O Facebook também pode implementar alertas para pessoas com grandes diferenças de idade que conversam em particular no Messenger, nas mensagens diretas do Instagram, ou para contas que tentam entrar em contato com menores de idade quando são bloqueadas por muitas outras pessoas.

Como a preparação pode começar na área pública do Facebook ou Instagram, a empresa pode começar a digitalizar fotos em busca de comentários para encontrar contas com padrões de mau comportamento. David disse, também, que a empresa está testando como tornar os relatórios mais acessíveis, sobretudo em momentos mais agudos, como quando alguém bloqueia usuários suspeitos.

Imagem: Business Point

Ainda não se sabe, porém, se essas medidas serão suficientes para proteger as crianças. O Facebook disse que está trabalhando em estreita colaboração com especialistas em segurança infantil antes de lançar a criptografia de ponta a ponta. Por outro lado, a ONG Internet Watch Foundation disse ao Financial Times que a rede social de Zuckerberg pode ter procurado apenas uma única organização nos EUA.

Fonte: Engadget

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.