Superman já ficou em quarentena para enfrentar um vírus; veja

Por Claudio Yuge | 07 de Abril de 2020 às 10h11
Comic Book Resources

Bem, como estamos todos isolados para evitar a rápida disseminação do novo coronavírus (SARS-CoV-2), de vez em quando passa pela minha cabeça: “Seria ótimo ser um super-herói neste momento, já que assim eu poderia sair voando por aí sem me preocupar com o contágio”. Mas… Não é bem assim, afinal até mesmo o Superman já precisou ficar em quarentena. Para proteger outros kryptonianos que estavam na Terra, o Homem de Aço precisou praticar o distanciamento social, pois ele acreditava ter contraído um patógeno letal.

Isso aconteceu em Superman #156, de Edmond Hamilton e Curt Swan, publicado nos Estados Unidos em outubro de 1962 e no Brasil em maio de 2008, na Coleção DC 70 anos #1. Na trama, quando um objeto de Krypton pousou na Terra e Jimmy Olsen o abriu, Superman percebeu que havia um “vírus X” dentro dele.

Superman começa a sentir fraqueza e tontura e pede a Jimmy Olsen que o acompanhe ao médico, até porque o fotógrafo também pode ter sido infectado.

Imagem: Reprodução/DC Comics

Os testes apontam que o “vírus X” não afeta os humanos, mas causa problemas de respiração e altera sua pulsação, além de baixar o nível de força.

Imagem: Reprodução/DC Comics

O médico chega a dizer que Superman estará morto em pouco tempo. Ele, então, decide se isolar, para poupar outras pessoas de um possível contágio. Ele teme que outros kryptonianos da Terra, como Supergirl e os Kandorians na cidade engarrafada de Kandor, sofram com um possível surto.

Imagem: Reprodução/DC Comics

Então Superman manda seus robôs construírem uma zona de quarentena. Ele mantém Jimmy Olsen no mesmo local, porque teme que Jimmy, embora não sintomático, possa transmitir o vírus à Supergirl.

Imagem: Reprodução/DC Comics

Eis que a Supergirl chega e fica sabendo sobre sua morte iminente. Ela logo parte em busca de uma cura, até mesmo com ajuda do futuro, da Legião dos Super-Heróis.

Imagem: Reprodução/DC Comics

No final das contas, a trama mostra que uma cura não existe. Eis que Mon-El, da Zona Fantasma, avisa a Legião dos Super-heróis que, na verdade, foi um pedaço de kryptonita preso no interior da câmera fotográfica de Jimmy Olsen que acabou deixando o Superman doente — e não um vírus.

Imagem: Reprodução/DC Comics

Depois de se recuperar, o Superman revela algo curioso: ele havia deixado uma mensagem para os humanos na Lua, com assinatura de Clark Kent. Como não precisava mais deixar essa nota, ele pede ajuda da Supergirl e de Krypto (!) para apagar suas últimas palavras.

Imagem: Reprodução/DC Comics

O caso é curioso e essa edição foi uma das que inspiraram Grandes Astros: Superman, de Grant Morrison, em que o Homem de Aço contrai um câncer. Bem, obviamente que, em nosso mundo, a ameaça é real e todos devem continuar isolados. E se Kal-El conseguiu, a gente também vai conseguir sair dessa.

Fonte: CBR  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.