Edição rara e “perdida” de Spawn voltará a ser impressa pelo criador de Cerebus

Por Claudio Yuge | 07 de Julho de 2020 às 22h00
Image Comics

Se você procurar pela edição número 10 da revista Spawn, seja no Brasil ou nos Estados Unidos, dificilmente vai encontrá-la — ou quando conseguir, notará que seu preço é acima do comum. Isso porque, devido a um contrato com Dave Sim, um proeminente nome do mercado autoral independente dos Estados Unidos, Todd McFarlane, criador do Spawn, supostamente não podia imprimir mais levas da revista. E essa proibição também atingia outros países onde o título é licenciado. Agora, contudo, o próprio Sim disse que a Spawn #10 voltará a ser impresso.

Para entender melhor essa treta, é preciso voltar aos anos 80, quando Sim se tornou ícone no boom do mercado alternativo nos Estados Unidos. Isso porque sua criação, o porco guerreiro chamado Cerebus, tornou-se extremamente popular, mesmo sem a estrutura das gigantes como Marvel Comics e DC Comics. O autor fazia de tudo: escrevia roteiros, desenhava as capas e o interior, arte-finalizava, editava, imprimia e distribuía — e ele realizou isso em todas as 300 edições.

Os heróis clássicos da DC e da Marvel atrás das grades em Spawn #10 (Reprodução/Image Comics)

Cerebus se tornou um sucesso e chegou a rivalizar com títulos das maiores editoras. As histórias nunca foram licenciadas fora dos Estados Unidos e, algumas delas, seriam extremamente difíceis de adaptar: em um dos volumes, por exemplo, há uma discussão de bar entre um irlandês, um escocês e um inglês, em um texto repleto de gírias locais.

Essa popularidade de Cerebus chamou a atenção de McFarlane no início da jornada de Spawn na Image Comics, criada por dissidentes da Marvel e da DC, que estavam insatisfeitos com a negociação de direitos sobre propriedades. Como o personagem de Sim sempre esteve atrelado ao mercado indie, a capa e a participação dele junto ao soldado infernal funcionou como uma “vingança” contra Batman, Superman, Homem-Aranha, Capitão América, entre outros.

Sim fala sobre a nova impressão

Nos bastidores, as fofocas diziam que Sim, insatisfeito com o resultado final da edição, decidiu encerrar os laços com McFarlane, o que supostamente impedia a republicação de Spawn #10. Não se sabe exatamente se isso era verdade ou não, fato é que a revista se tornou rara em todos os lugares. Agora, Sim não tira essa dúvida e nem fala sobre as razões de voltar a imprimi-la, mas esclarece a relação com McFarlane.

"Todd McFarlane e eu sempre tivemos o acordo recíproco de que ele pode imprimir Spawn #10 e vendê-la em qualquer lugar e não me compensar por Cerebus estar nela. Posso imprimir Spawn #10 a qualquer momento que quiser e não compensar a Todd [McFarlane] Productions ou Todd McFarlane por ter o Spawn nela", disse. Vale destacar que foi a primeira vez que Sim abordou esse assunto.

Spawn #10, lançada em 1993 pela Image Comics. Cerebus brinca com o fato de ter sempre sido 
publicado em preto-e-branco no mercado indie (Reprodução/Image Comics)

Sim adiantou que fará dez novas capas para a edição, algumas das quais já estão concluídas. “Vou desenhar Cerebus e Spawn na capa, mas a maior parte serão os braços de super-heróis saindo pelas barras de ferro — estou fazendo no meu melhor estilo ‘Neal Adams’”, afirmou, citando o lendário artista norte-americano que costumava enfrentar as chefias da Marvel e DC nos anos 60 e 70.

A data de lançamento da reimpressão Spawn #10 ainda não foi anunciada.

Fonte: Bleeding Cool  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.