Luva transforma linguagem de sinais em áudio

Por Redação | 12.05.2016 às 11:43

Um protótipo criado por estudantes da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, pode transformar a forma como fluentes em linguagem de sinais se comunicam com aqueles que não a entendem. O par de luvas tecnológico criado pelos alunos é capaz de converter, em tempo real, os gestos realizados em áudio, traduzidos a partir de uma caixa de som localizada em um dos pulsos.

A invenção, batizada de SignAloud, usa sensores que medem as coordenadas das mãos, bem como os movimentos individuais dos dedos e do pulso. Um computador precisa estar nas proximidades, conectado ao sistema por meio do Bluetooth, para fazer o processamento dos sinais e sua conversão para a língua inglesa. O processo é praticamente instantâneo, com a conversão levando menos de dois segundos para acontecer.

O desafio, entretanto, foi maior do que os responsáveis esperavam, e continua sendo assim. De acordo com Navid Azodi, um dos criadores do protótipo, ele ainda é capaz de reconhecer apenas regras simples e está longe de compreender o complexo sistema da linguagem de sinais de forma completa. Entretanto, a ideia é desenvolver o par de luvas até que ele chegue exatamente a esse patamar, categorizando a maioria dos gestos e facilitando a vida dos não fluentes.

A ideia dos criadores é apresentar uma plataforma aberta, de forma que a tradução para outros idiomas seja facilitada. Além disso, outra proposta é fomentar o ensino da linguagem de sinais por meio do SignAloud, já que o feedback em tempo real dos gestos realizados facilitaria a localização de erros e a correta movimentação dos braços e mãos.

É interessante citar que nem Azodi nem seu parceiro inventor, Thomas Pryor, tem deficiências de fala ou audição. Ainda assim, levaram adiante um projeto de inclusão que permite aos que possuem esse tipo de dificuldade se comunicarem normalmente com todos, mesmo que somente em inglês, por enquanto. A ideia foi considerada boa o suficiente para levar o prêmio Lemelson-MIT, focado em inovações criadas por estudantes, e um total de US$ 10 mil que será usado integralmente no financiamento do projeto.

Fontes: Lemelson-MIT (YouTube), Slash Gear