JBL Wind: testamos a caixa de som para usar na bike ou moto

Passar muito tempo na estrada pode ser uma das coisas mais legais pra muita gente, mas não há como negar que vez ou outra bate a vontade de ouvir uma musiquinha. Só que aí entra uma questão: quem anda de moto ou bicicleta não pode ficar com fones de ouvido o tempo todo, e a solução é usar uma caixinha de som. E, diferente de boa parte destes produtos, a caixa JBL Wind é discreta, funcional e ainda pode resistir a ação do tempo.

O design circular e compacto da JBL Wind esconde algumas coisas legais sobre ela. Primeiro que o acessório para encaixá-la no guidão pode ser solto, mas ele é proprietário para deixar a caixinha fixa enquanto você pilota a moto ou a bike.

De fato, esse é um produto bastante segmentado, mas que tem sua funcionalidade aplicada de maneira interessante. Com a caixinha presa ao guidão, basta direcioná-la para você mesmo e então a música pode ser ouvida com 3W de potência de saída. E, é claro, o som consegue ser nitidamente ouvido.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A caixinha também é bem generosa quando se trata de conexões. Ela tem uma entrada P2 para usar com cabo auxiliar (que já vem na caixa), uma entrada para cartões microSD (de até 32 GB), uma porta MicroUSB para carregamento (também com cabo incluso na caixa), tem conexão à rádios FM e, por fim, Bluetooth 4.1.

Esse seria um ponto ruim, mas pensando que o produto foi criado para ser usado na rua, não existem tantos motivos para trazer o Bluetooth 5.0, que, por exemplo, permite múltipla conexão entre dispositivos.

JBL Wind (Foto: Matheus Menucci / Canaltech)

Isso também pode influenciar na bateria do acessório. A JBL garante uma autonomia de 10 horas de música e, usando o acessório em períodos mais distintos, conseguimos ficar quase quatro dias com ela funcionando.

Os 800 mAh podem parecem pouquíssimos, mas para uma caixa de som até que consegue ser bem funcional. O tempo de recarga normalmente não passa das duas horas, e ela não tem suporte para o carregamento rápido – o que é bem triste, na realidade.

Outro ponto negativo sobre a caixinha é o funcionamento dos botões que têm nela. Para ligar ou desligar, é só segurar o botão Power por alguns instantes, e é bem fácil se conectar a ela por Bluetooth. Só que, tanto no iOS quanto no Android, quando nós apertamos os botões de volume, a caixa simplesmente trocou de música. Neste caso, só conseguimos alterar o volume pelo próprio celular, eliminando um pouco da comodidade que seria proporcionada pelo acessório de som.

Tirando isso, tanto a autonomia quanto a potência da JBL Wind são destaques positivos. A caixa também traz certificação IP45 que garante a sobrevivência do acessório durante uma chuva mais leve. Com chuvas mais intensas, é melhor ir com calma para que a caixinha não “morra”.

O preço sugerido da JBL Wind é de R$ 199, mas por cerca de R$ 150 você encontra ela no varejo. Por ser uma solução prática e que fica ali no guidão sem atrapalhar o condutor da moto ou bicicleta, o acessório consegue ser um bom aliado para quem passa muito tempo na estrada. Ou mesmo para quem só quer uma caixinha de som discreta do seu lado enquanto anda por aí.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.