Dispositivo de estimulação cerebral promete te deixar mais inteligente

Por Redação | 23 de Julho de 2019 às 09h37

O que você acharia de um dispositivo cerebral com capacidade para melhorar a sua função cognitiva e a sua memória só de colocá-lo na testa? Pois essa é justamente a proposta do Humm, que acabou de ser lançado para pré-venda nos Estados Unidos a US$ 99 (o que equivale a aproximadamente R$ 370). A ideia é, basicamente, transmitir ondas através da cabeça do usuário, a fim de modular a atividade cerebral.

Segundo os criadores do dispositivo, o público-alvo acaba sendo os idosos: "A memória de trabalho exige um tipo específico de ondas cerebrais - frequência lenta, ritmos vibrantes chamados ondas teta. À medida que envelhecemos, a força de nossas ondas teta naturalmente diminui e os ritmos gerais do cérebro ficam fora de sincronia, resultando em um declínio na memória operacional".

Criadores do Humm defendem que o dispositivo pode ajudar os idosos (Foto: Site oficial do Humm)

Os desenvolvedores do dispositivo ainda defendem que tudo é feito por meio da estimulação transcraniana de corrente alternada (tACS), aplicada a uma frequência de 6Hz, visando aumentar as ondas teta no córtex pré-frontal:

"O Humm utiliza um método comprovado chamado tACS para ressincronizar esses ritmos e fortalecer a memória, estimulando suavemente o cérebro a uma frequência de ondas teta de 6Hz. A tACS age como o condutor de uma orquestra que guia as populações de neurônios a dispararem simultaneamente, permitindo que áreas separadas do cérebro se comuniquem melhor".

Os experimentos feitos pelos criadores do Humm

Segundo a equipe do Humm, para verificar se o dispositivo funciona mesmo ou se o efeito é placebo, foi feito um experimento controlado designando aleatoriamente 36 voluntários para receber estimulação ativa de Humm ou uma condição simulada (representando um efeito placebo). Os voluntários não sabiam a qual dessas condições tinham sido designados. Então, eles foram levados a completar tarefas simples de memória, antes, durante e depois da estimulação.

(Foto: Site oficial do Humm)

Assim, o grupo que recebeu estimulação apresentou melhor desempenho durante e após o teste do que o grupo submetido à condição simulada. Os desenvolvedores publicaram um artigo contendo os estudos e os dados brutos, representando graficamente os pontos de dados individuais. Com resultados pontuais ou não, o fato é que o Humm é um verdadeiro divisor de opiniões.

Fonte: Discover Magazine

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.