A importância dos nobreaks em tempos de crise hídrica

A importância dos nobreaks em tempos de crise hídrica

Por Colaborador externo | Editado por Renato Santino | 18 de Janeiro de 2022 às 12h39
Unsplash

*Por Maria Helena Garcia

As mudanças climáticas têm afetado diretamente as proporções de chuvas no Brasil, tanto que, entre 2020 e 2021, tivemos a maior estiagem no país dos últimos 90 anos, o que acarretou uma grave crise hídrica. Por conta dessa situação, aumentam os apagões na rede elétrica, que abalam a rotina de empresas e pessoas, prejudicando os negócios, e podem causar sérios danos a equipamentos eletrônicos.

Hoje, como opção para reduzir os prejuízos causados por esses eventos, há os nobreaks, produtos que garantem o fornecimento constante de eletricidade aos equipamentos em momentos de quedas de energia. Em poucas palavras, o nobreak é uma fonte de energia ininterrupta, que tem como principal função manter os equipamentos conectados a ele funcionando continuamente, além de protegê-los, pois estabiliza a tensão da rede elétrica.

A importância dos nobreaks aumenta à medida que muitas pessoas passam a desempenhar de casa suas atividades profissionais em decorrência da pandemia de covid-19. Para evitar interrupções no trabalho por causa de quedas de energia, é importante ter equipamentos que garantam o fornecimento contínuo de energia elétrica. Segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) de 2020, cerca de 11% dos trabalhadores ativos exerceram suas atividades no modelo home office, e há uma tendência de aumento para os próximos anos, devido à evolução dos equipamentos tecnológicos e otimização das redes de comunicação digital.

Trabalho ininterrupto

A queda de energia gera perda de produtividade e, principalmente, prejuízos, já que muitas vezes ocorrem picos de tensão elétrica no reestabelecimento de energia, o que pode queimar os equipamentos. A utilização de nobreaks elimina esse problema e, nos casos de ausência da rede elétrica, mantém computadores e outros equipamentos, como portões elétricos e sistemas de segurança, ligados por um período de tempo suficiente para que o usuário possa desligá-los corretamente, além de salvar arquivos, por exemplo.

Existem leis no Brasil que protegem as pessoas em relação aos prejuízos causados pela queda de energia elétrica. Entre elas, a Resolução Normativa 414/10, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), concede ao consumidor um prazo de até 90 dias corridos da data da ocorrência do dano para encaminhar queixa à concessionária. Já o Código de Defesa do Consumidor assegura até cinco anos para que o usuário busque a reparação de danos. Independentemente das normas de proteção ao consumidor, utilizar um nobreak é mais prático, pois evita o estresse de buscar por uma indenização relacionada às perdas.

Estabilização da tensão

Os nobreaks também funcionam como um estabilizador. Como o fluxo de energia da rede elétrica não é constante, as oscilações e os ruídos aos quais está sujeita podem danificar os eletroeletrônicos com o passar do tempo. Por meio de um sistema de estabilização inteligente, o nobreak pode evitar essas oscilações e entregar uma energia limpa, sem variações e nenhum risco de prejudicar o funcionamento dos equipamentos.

Qual o equipamento ideal?

Antes de adquirir o nobreak ideal às suas necessidades, o consumidor precisa identificar os equipamentos que estarão ligados a ele e somar a potência real, em watts, de todos os equipamentos para obter a potência total do cenário. Conhecendo essa variável, ele saberá que nobreak é mais indicado. Também é importante que o produto opere com 30% a 50% de sua potência nominal, para assim garantir proteção, autonomia e futuras ampliações de cargas.

Para fazer o cálculo da potência real, é possível usar as calculadoras online de autonomia para nobreaks.

Instalação prática

Existem modelos de nobreaks simples para uso em residências que não exigem instalação especial. Para que comecem a funcionar, basta ligá-los à tomada e conectá-los aos equipamentos. Para empresas, que têm equipamentos de alta potência, há modelos de nobreaks senoidal e online que podem ser conectados a baterias externas, possibilitando o aumento da autonomia do sistema e garantindo a continuidade das atividades.

Diante dos desafios que se impõem à nossa rotina, a utilização de nobreaks é importante para economizar recursos financeiros e preservar a vida útil dos seus equipamentos. Em resumo, devemos utilizar as tecnologias que temos à disposição para enfrentar as adversidades do dia a dia da melhor forma possível.

*Maria Helena Garcia é gerente do segmento de nobreaks da Intelbras, empresa brasileira desenvolvedora de tecnologias com 45 anos de história.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.