Focus Sedan 2014: um carro completo cheio de tecnologia

Por Pedro Cipoli

Parte do nosso trabalho é testar carros. Veja bem, uma empresa traz um carro até a nossa casa, geralmente a versão mais avançada de um modelo, nos dá a chave e busca algum tempo depois perguntando a nossa opinião. Bom, nosso trabalho é duro e estressante, mas alguém tem que fazê-lo, e dessa vez vamos conhecer alguns detalhes do Focus Sedan 2014 Titanium PLUS de Ford, um modelo que chama a atenção de pais de família ou de pessoas que gostam de um carro grande.

É difícil encontrar defeitos graves em carros mais caros, então, antes de entrarmos na análise da relação custo-benefício do Focus 2014, vamos conhecer os principais pontos que chamam atenção nele. Afinal de contas, ao contrário dos produtos que normalmente analisamos aqui, carros pertencem a uma faixa de preço muito maior (um Focus 2014 custa quantos iPhones? Apenas um exemplo). Então a variação de preços para fazermos uma relação do tipo exige muito mais cuidado.

Outro ponto: focaremos na área de tecnologia e experiência, afinal, Canaltech tem um "tech" no final. Nosso foco está nas tecnologias desse modelo, como o SYNC, o Park Assist, GPS e assim por diante. Também focaremos na na experiência e sensação de dirigi-lo ao invés de nos prendermos aos detalhes da ficha técnica.

Ficha técnica (Highlights):

  • Motor: 2.0 Duratec de 178 cavalos, 6 velocidades, 4 cilindros, torque (Nm) 211 (G) / 221 (E)
  • Freios: ABS com EBD
  • Sensores: distância, chuva, estabilidade, acendimento automático de faróis, câmera de ré, assistente partida de rampa, pressão dos pneus
  • Computador de bordo: SYNC (central de entretenimento), Park Assist e GPS
  • Extras para a versão Titanium PLUS: 6 airbags, sistema de som de 9 canais, luzes diurnas de LED, teto solar, sensor dianteiro de estacionamento e Park Assist, faróis de Xenon
  • Partida sem chaves

Visual

O Focus 2014 recebeu uma atualização visual, por assim dizer. Apesar de não ser tão "sexy" quanto um Fusion ou modelos mais avançados de outras marcas, como o Passat da VW, o design está longe de ser um defeito nessa edição. Rodamos uma boa quantidade de quilômetros com ele e em qualquer lugar onde estacionamos ele chamou atenção. Esse era um privilégio de modelos que custam mais de R$ 100 mil e, embora o carro não passe tanto aquela sensação de "carro de patrão", este é um ponto que a Ford acertou.

Conforto

Nesse quesito, dois pontos merecem destaque. O primeiro deles é o conforto ao dirigir o carro, com bancos bastante confortáveis para quem passa horas dirigindo, capaz de deixar pessoas de praticamente qualquer altura bem acomodadas. Apesar disso, não gostamos do pára-brisas baixo que não nos permite olhar para cima sem nos cuvarmos. Problema simples que poderia ser facilmente resolvido se o vidro se estendesse mais pelo teto.

O segundo ponto é em relação ao contorto de dirigir um carro automático. A Ford dá o nome de PowerShift à caixa de 6 marchas e 5 posições (Parking, Ré, Neutro, Dirigir e Subida) com 178 cavalos de potência. É potência de sobra para qualquer tipo de situação e mal é possível escutar o motor ligado. Até mesmo em velocidades próximas a 120 km/h ele não apresentou nenhuma vibração. Raramente usamos o modo Subida, já que o motor respondeu bem mesmo em inclinações bem sinuosas sem forçar tanto o motor.

A direção é elétrica e quem nunca dirigiu um carro com uma dessas pode imaginar o seguinte: sabe a diferença entre um carro com volante mecânico e outro com direção hidráulica? É a mesma entre a direção hidráulica e a elétrica. Pegar um carro com direção hidráulica após dirigir um com direção elétrica dá uma certa frustação. Outro ponto é que a versão Titanium PLUS vem com ar condicionado digital e automático capaz de se auto-ajustar. Para se ter uma ideia, não precisamos ajustar a potência dele em nenhum momento durante os testes.

Sensores e mais sensores

Há sensores ao redor de todo o carro. Mesmo para quem não costuma dirigir com certa frequência, o sistema de segrança faz o Focus ser meio que "à prova de idiotas". Qualquer objeto próximo, em qualquer direção, aciona o sensor de proximidade, o que é ótimo para manobrar. Em alguns casos, observamos alguns falsos positivos, já que o carro estava bem longe de um objeto. Mas, de qualquer forma, quando ele é acionado vale dar uma olhada ao redor.

O interior do carro também conta com recursos interessantes. O painel do motorista mostra mensagens sobre qualquer coisa irregular, como estresse na embreagem, motor superaquecido e assim por diante. Também é possível visualizar várias configurações do consumo de combustível, como consumo médio (7,5 km/l em nossos testes na cidade de São Paulo), autonomia restante e outras medições. O volante conta com um botão "Set" para configurar o piloto automático, outro recurso que funcionou muito bem.

O sensor de chuva limpa os pára-brisas automaticamente quando começa a chover. Apesar disso, quando a chuva é muito forte, se faz necessário ativar os limpadores manualmente. Também há o sensor de estabilidade e o sensor de traçã que auxiliam o esterçamento em curvas mais fechadas e em alta velocidade. Graças a eles, capotar o carro nessas situações é mais difícil, mas isso não significa que você não conseguirá fazê-lo se tentar desafiar as leis da física.

Park Assist e SYNC

O Park Assist, bem, estaciona o carro sozinho. Simples assim. Porém, confiar completamente nele é arriscar a integridade do carro, já que ele não é tão preciso a ponto de conseguir lidar com qualquer situação. Por exemplo, a distância lateral (espaço entre seu carro e outro, a largura média de um carro e a distância entre um carro estacionado e a calçada) que ele calcula é pré-programada e é preciso esperar o sistema dar um "OK" antes de utilizá-lo sem medo do carro bater em outro ou subir na guia. Se você tiver a sorte de encontrar várias vagas e o sistema não der "OK" para nenhuma delas, vale a pena estacionar manualmente. Caso contrário, o pior pode acontecer.

Para entendermos o SYNC, basta imaginar o Bluetooth de um carro com recursos extras. Alguns carros usam o Bluetooth do smartphone somente para atender às ligações, mas o SYNC permite uma comunicação mais sofisticada com o telefone, tocando músicas armazenadas nele, por exemplo. Para o futuro, a Ford planeja disponibilizar mais recursos para o sistema multimídia. Já imaginou poder controlar o ser carro com um app para smartphone?

Além disso, o Focus 2014 traz consigo um sistema de navegação baseado em GPS que é bastante avançado em vários aspectos. O sistema é embutido no próprio carro e é bastante prático. Fizemos uma série de testes em diversas situações, comparamos os resultados do Focus com os obtidos com o Google Maps e conseguimos basicamente as mesmas rotas. Porém, no sistema do carro, é possível escolher vários caminhos alternativos, como o mais curto, o que tem menos trânsito, o que economiza mais gasolina, o mais rápido e assim por diante.

Som

A versão Titanium PLUS, em especial, conta com um sistema de som de 9 canais (5 alto-falantes e 4 Tweeters) projetados pela Sony. O aparelho possui duas portas USB, slot para cartões SD e é compatível rádios AM e FM, CD, iPod, pendrives e até HDs externos. Também é possível conectar o smartphone ao SYNC via Bluetooth e ouvir as músicas do gadget. A qualidade? Sensacional! Vale a pena escolher músicas com bitrate maior que 256 kbps, pois é possível perceber a diferença de qualidade mesmo em volumes mais baixos.

Conclusão

Agora vem a parte dolorida. A versão que Titanium PLUS que testamos custa R$ 90.890, valor que pode aumentar dependendo da cor. O Focus Sedan 2014 mais básico custa R$ 70.690 e o valor vai aumentando de acordo com as 6 versões (confira-as na listagem abaixo) disponíveis. Vale a pena? Bom, somos um site especializado em tecnologia e, sinceramente, gostamos da parte tecnológica do Focus 2014. Afinal de contas, carros precisam se diferenciar para serem competitivos e o foco da Ford é claramente fazer o carro mais inteligente.

Um dos recursos presentes na versão Titanium PLUS do Focus Sedan 2014 que não está presente no Titanium convencional (que custa R$ 82.000) é o Park Assist. Acreditamos que ele ainda precisa ser polido e programado com mais cenários, como o caso de o carro estar mais próximo da calçada, e acreditamos que a diferença entre um e outro não é justificada pelo Park Assist. Contudo, os sensores dianteiros, os faróis de Xenon e o teto solar podem justificar a compra por aqueles que escolherem a versão mais cara.

Novamente, vale a pena? Infelizmente, alguns recursos a mais no caso de carros significam uma bela diferença no investimento. Considerando o Titanium PLUS, acreditamos sim que ele atende perfeitamente quem busca um carro avançado em qualquer estágio da vida, considerando as pessoas que estão dispostas a pagar por ele. Ele é um carro que certamente irá atender quem busca um para usar durante anos, justificando o elevado investimento financeiro que é a compra de um carro no Brasil. Gostamos bastante do carro enquanto o testamos, mas o preço é, de fato, um impedimento para grande parte do público brasileiro.

Versões:

  • S 2.0 PowerShift (R$ 70.690): motor 2.0 com PowerShift Direct Flex com 178 cavalos, assistentes de rampa, pressão dos pneus, controle de estabilidade e tração, rodas de 16'', SYNC, direção elétrica, freios ABS, sistema de som (4 alto-falantes e 2 tweeters) e 2 airbags frontais;
  • SE 2.0 PowerShift (R$ 75.790): S 2.0 PowerShift + rodas de 17'', 4 airbags, sensor de estacionamento traseiro, limitador de velocidade e faróis de neblina;
  • SE 2.0 PowerShift + A/C Digital (R$ 76.790): SE 2.0 PowerShift e ar-condicionado automático;
  • SE 2.0 PowerShift PLUS (R$ 78.790): SE 2.0 PowerShift + A/C Digital + chave de presença, 6 airbags, sensor de chuvas, acendimento automático de faróis e espelho retrovisor eletrocrômico;
  • Titanium 2.0 PowerShift (R$ 82.790): SE 2.0 PowerShift PLUS + SYNC com sistema de som melhor com 5 alto-falantes e 4 tweeters e câmera de ré;
  • Titanium 2.0 PowerShift PLUS (R$ 90.890): Titanium 2.0 PowerShift + Park Assist, faróis Xenon, luzes LED, teto solar, sensor dianteiro, regulagem elétrica dos bancos com 6 posições.