7 coisas que já são feitas com a ajuda de drones

Por Douglas Ciriaco
photo_camera Autoevolution.com

Os drones começaram a ganhar popularidade nos últimos três anos, mas essas máquinas estão em desenvolvimento desde a década de 1980. Ao longo de toda sua história, os veículos aéreos não tripulados foram utilizados, basicamente, para fins militares ou estiveram em uso exclusivo de governos e grandes corporações.

Só que isso está mudando. E em várias partes do mundo, inclusive no Brasil, os drones já são empregados no auxílio da população, nas mais diversas tarefas. Seja para capturar imagens aéreas ou para trabalhar no monitoramento de florestas a fim de combater o desmatamento ilegal, esses equipamentos tendem a estar cada vez mais presentes no dia a dia dos usuários. Listamos aqui sete aplicações úteis que um drone já possui atualmente.

1. Captura de fotos e vídeos

Drones

Fazer imagens aéreas não era algo exatamente acessível a muitas pessoas até pouco tempo - afinal, seria necessário um helicóptero para isso. Atualmente, se uma empresa trabalha com este tipo de serviço ou é um veículo de imprensa, por exemplo, não seria nada absurdo investir na aquisição de um drone para auxiliar na hora de fazer fotos ou filmes das alturas. Vale lembrar que essa aplicação para captura de imagens pode gerar casos de violação de privacidade, pois poderia ser usado para fins de espionagem, como filmar e fotografar casas de celebridades.

2. Monitoramento de plantações

Drones

Além de servir como uma espécie de vigilante aéreo para toda uma plantação, drones fabricados especificamente para a agricultura podem auxiliar na hora de espalhar defensivos agrícolas sobre toda uma plantação de uma forma bem menos trabalhosa. A ideia do monitoramento na agricultura se baseia no registro de imagens com o objetivo de descobrir falhas nas plantas. Assim, um agricultor pode controlar mais de perto o desenvolvimento do plantio e corrigir possíveis pragas.

3. Monitoramento de trânsito

Drones

Ficar de olho no que acontece nas principais estradas de uma região é uma tarefa relativamente simples. Isso porque é comum que vias de grande movimento estejam lotadas de câmeras e radares, o que teoricamente ajuda as autoridades a manter os olhos em qualquer tipo de irregularidade. No entanto, se pensarmos na capacidade de controlar um drone e, assim, ganhar “olhos móveis” para vigiar uma estrada, as possibilidades se ampliam bastante. Dessa forma, seria possível mudar mais facilmente os pontos monitorados.

4. Monitoramento de florestas

Drones

Outra finalidade trazida por um veículo aéreo não tripulado é no monitoramento de florestas. Atualmente, há drones circulando áreas verdes para descobrir desmatamentos ilegais e até mesmo para proteger a vida de animais ameaçados de extinção. O site conservationdrones.org, por exemplo, é mantido por dois pesquisadores europeus que querem espalhar essa ideia pelo mundo. Eles iniciaram os trabalhos em 2012, na Sumatra, e hoje atuam em quatro países, em três continentes diferentes.

5. Combate ao tráfico de drogas e armas

Drones

O Brasil já faz uso de veículos aéreos não tripulados e pilotados remotamente para monitorar fronteiras e intensificar o combate ao tráfico de drogas e armas. Desde 2013, os veículos já são usados em uma força-tarefa envolvendo a Força Aérea Brasileira e a Polícia Federal para registrar ações suspeitas.

6. Prevenção de enchentes

Drones

Pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (CMC) da Universidade de São Paulo (USP) criaram em 2013 um drone capaz de auxiliar no monitoramento e na prevenção de enchentes. Os equipamentos fazem um voo por um trajeto pré-determinado, recebem, processam e enviam os dados coletados, para então prever quando um desastre natural pode acontecer.

7. Estudos da camada de ozônio

Drones

A agência espacial dos Estados Unidos (NASA) criou um veículo aéreo não tripulado que vai trafegar pela atmosfera terrestre a fim de monitorar a camada de ozônio que protege o nosso planeta. A ideia é usar o drone para obter informações sobre como o vapor d'água que se esvai da Terra interage com o gás ozônio, essencial para a conservação do planeta. O veículo alcança a divisa entre a troposfera e a estratosfera, ou seja, chega a uma distância que varia entre 5 km e 7 km de altura a partir da superfície terrestre.

Fontes: Inovação Tecnológica, Scientific American, Spiegel, Yahoo!, LiveScience, DefesaNet, Zero Hora

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!