TikTok pode anunciar comprador de suas operações nos EUA já nesta terça-feira

Por Rui Maciel | 31 de Agosto de 2020 às 12h50
nikuga/Pixabay
Tudo sobre

TikTok

Saiba tudo sobre TikTok

Ver mais

Uma reportagem do canal CNBC informa que a TikTok já escolheu um comprador para suas operações nos EUA, Nova Zelândia e Austrália, de acordo com pessoas próximas às negociações. Inclusive, o anúncio da empresa seria feito já nesta terça-feira (01/9).

A Microsoft, em parceria com o Walmart, e a Oracle, são os dois principais candidatos a adquirir a filial norte-americana da plataforma. O preço deve ficar entre US$ 20 e US$ 30 bilhões. Uma série de outros potenciais compradores também foram apontados nas últimas semanas, incluindo Netflix, Apple e Alphabet, controladora do Google. No entanto, suas chances são muito menores.

O Walmart surgiu como um candidato surpresa na semana passada, dizendo que o aplicativo de mídia social aumentaria seus esforços de comércio eletrônico. Originalmente, a rede varejista pretendia ser o proprietário majoritário do negócio em um consórcio incluindo a Alphabet e a SoftBank, mas o governo dos EUA afirmou desejar que uma empresa de tecnologia liderasse o negócio. Com isso, a Alphabet e a SoftBank desistiram e o Walmart firmou parceria com a Microsoft na oferta. Nesse cenário, o Walmart seria um proprietário minoritário do TikTok.

E um sinal de que a venda pode ir para a dupla Microsoft / Walmart está nas palavras de Vanessa Pappas, diretora-geral provisória do TikTok. Segundo ela - que vem substituindo Kevin Mayer, então CEO da plataforma e que renunciou na semana passada após apenas quatro meses no cargo - o board da ByteDance viu sinergias com o Walmart graças às novas ferramentas de comércio eletrônico dentro do aplicativo. Além disso, entre as big techs dos EUA, a Microsoft é a empresa que opera com mais liberdade dentro do território chinês, o que facilitaria uma aprovação junto ao governo local. O Walmart também possui lojas no país asiático.

Existe uma China no meio do caminho

O objetivo da ByteDance, controladora do TikTok, é finalizar a venda em questão de semanas para evitar a proibição de suas operações ordenada pelo presidente Donald Trump.

No entanto, ainda que um comprador já tenha sido escolhido, a China não pretende facilitar a venda. Isso porque, na última sexta-feira (28), o governo chinês atualizou a sua lista de exportações de tecnologia, incluindo a Inteligência Artificial (IA) usada pelo TikTok como um dos produtos que exigem uma licença antes de ser comercializada. Com isso, a ByteDance afirmou que vai precisar de uma licença estatal do país asiático, antes de vender suas operações para uma empresa norte-americana.

E considerando o atual momento nas relações entre China e EUA, é pouco provável que o governo de Xi Jinping facilitará a venda. Não apenas pela pressão que Donald Trump vem exercendo sobre o TikTok, mas também em outras empresas chinesas, principalmente a Huawei e também o WeChat, da Tencent. Logo, esse negócio deve trazer novos e dramáticos capítulos.

Procuradas, TikTok, Microsoft e Walmart não comentaram a reportagem da CNBC.

Fonte: CNBC  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.