Lojas Americanas e B2W anunciam união de suas operações e criam nova companhia

Por Rui Maciel | 28 de Abril de 2021 às 21h10

A Lojas Americanas e B2W - Companhia Digital anunciaram nesta quarta-feira (28) um acordo para união de suas operações e a criação de uma nova companhia, que levará o nome de americanas s.a. A proposta encaminhada pelos Conselhos de Administração de ambas as empresas e será votada nas Assembleias Gerais Extraordinárias que ocorrerão no próximo dia 10 de junho.

Com um time de 34 mil colaboradores, a americanas s.a. terá uma base com mais de 90 milhões de clientes cadastrados, sendo que 46 milhões deles são de clientes ativos. A nova estrutura terá ainda 1.707 lojas de 5 diferentes formatos presentes em 765 cidades do Brasil, uma plataforma de marketplace, uma fintech (AME) com mais de 19 milhões de downloads e aceitação em 3 milhões de estabelecimentos, uma plataforma de logística e fulfillment com capilaridade nacional.

Segundo as duas companhias, a unificação acontecerá em duas etapas: na primeira, ocorrerá a combinação e integração dos negócios, com os ativos operacionais de Lojas Americanas sendo incorporados pela B2W, criando a americanas s.a. uma nova companhia 100% integrada em todos os seus ambientes: Físico, Digital, Logística e Fintech em uma única plataforma.

A americanas s.a. será listada no Novo Mercado da B3, segmento destinado à negociação de ações de empresas que adotam, voluntariamente, práticas de governança corporativa adicionais às que são exigidas pela legislação brasileira. A Lojas Americanas (LAME3 e LAME4) seguirá listada no Nível 1, de forma transitória, como um "veículo de investimento" com participação na americanas s.a. Esta fase acontece em aproximadamente 40 dias.

Já na segunda etapa, a Lojas Americanas S.A. pretende criar um veículo no exterior para listagem nos Estados Unidos que se chamará americanas inc. Essa fase tem como objetivo atrair investimentos para Companhia em um patamar global e promover o alinhamento estratégico de longo prazo com os acionistas. A estimativa é que esta fase seja concluída em menos de 1 ano.

Operações mais eficientes

Em comunicado, as duas companhias afirmam que a integração de 100% das operações possibilitarão a soma de esforços e diferentes expertises trazer mais agilidade melhor atendimento aos clientes, além da redução dos pontos de fricção e melhoria da capacidade de engajamento, oferecendo uma melhor experiência. E tendo sempre o cliente no centro da estratégia e com uma forte agenda de ESG

Segundo as empresas, a combinação das operações é uma oportunidade de acelerar a evolução dos negócios, representando o resultado de uma soma contínua, um novo ecossistema totalmente integrado para gerar valor, com base em cinco pilares: efeito de rede, tecnologia proprietária, economia de escala, marca reconhecida, e uma plataforma de M&A ainda mais forte.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.