Huawei oferece US$ 26 mi para que desenvolvedores criem apps para seus aparelhos

Por Felipe Ribeiro | 16 de Janeiro de 2020 às 10h40
cnet
Tudo sobre

Huawei

Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais

A Huawei busca soluções para tentar minimizar seus problemas com a Google. Como todos sabem, os aparelhos mais recentes da gigante chinesa, apesar de serem equipados com o Android, não podem utilizar os serviços da empresa americana por conta da guerra comercial entre Estados Unidos e China. A ideia da vez para os chineses é a criação de um ecossistema de apps próprios e, para isso, eles pretendem fazer um investimento de US$ 26 milhões para que desenvolvedores criem programas.

A Huawei fez um evento na última quarta-feira (15) chamado "Dia do Desenvolvedor", em Londres, na Inglaterra, e anunciou esse investimento para a criação de uma Huawei App Gallery mais robusta. Os executivos da marca divulgaram algumas imagens do que eles esperam que seja essa galeria de programas e meio que cutucaram a Google e a Apple mencionando, especialmente, o fato de a Huawei ter a intenção de receber apenas 15% de receita de seus desenvolvedores, em vez dos 30% cobrados pelas concorrentes.

O vice-presidente europeu de serviços ao consumidor da Huawei, Jaime Gonzalo, enfatizou que a empresa estava tentando construir um ecossistema de aplicativos menos intrusivo do que aqueles operados pelos gigantes da tecnologia do Vale do Silício, dizendo que produziria menos "spam" na forma de notificações. "Isso é muito bom do ponto de vista da privacidade", disse Gonzalo. "Os anúncios não são importantes para nós." Ele acrescentou, também, que os desenvolvedores poderão comercializar seus aplicativos nas telas iniciais dos usuários.

E o Harmony OS?

Pouco foi dito sobre o Harmony OS, o sistema operacional que a Huawei está deixando na reserva se - ou quando - a hora de substituir o Android chegar. Atualmente, os novos telefones da empresa rodam em uma versão de código aberto do sistema operacional da Google, o AOSP (Android Open Source Project).

A empresa não tem sido particularmente clara sobre quando pode começar a substituir o Android pelo Harmony, mas, mais recentemente, um executivo sugeriu que este sistema operacional poderia estar pronto para uso já em meados de 2020.

A seleção de aplicativos disponíveis na loja de aplicativos da Huawei permanece pequena se comparada à do Google. Amazon, Snapchat, TikTok e o jogo "Fortnite" estão disponíveis na App Gallery, mas, ainda assim, existem poucos apps populares. Vale lembrar que programas do guarda-chuva do Facebook (WhatsApp, Instagram e a própria rede social) não estão na plataforma.

Importante mencionar ainda que a Huawei deve lançar seu novo smartphone topo de linha, o Huawei P40, em março. Ele deve vir no mesmo esquema do Mate 30, ou seja, com um sistema operacional Android, mas sem os serviços da Google.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.