HP pode mudar atuação no mercado de impressoras, principalmente nas tintas

Por Felipe Ribeiro | 13 de Janeiro de 2020 às 11h40
Alex Cranz
Tudo sobre

HP

Saiba tudo sobre HP

Ver mais

A HP, sempre forte no mercado de impressoras, pode estar reavaliando a maneira como vai encarar este setor daqui para frente. De acordo com informações de analistas do Morgan Stanley, o estilo de negócio conhecido como "lâmina de barbear", pode estar com os dias contatos.

A empresa, assim como outras deste ramo, vendem as impressoras a preços competitivos, mas cobram fábulas pelos cartuchos de tinta, algo bem parecido com o que fazem as empresas especializadas em lâminas de barbear, que colocam os preços dos cabos bem abaixo para depois elevar a pedida pelas lâminas. Ou seja: manter uma impressora da HP, pode custar centenas de dólares ou reais por ano.

Kif Leswing, da CNBC, tuitou pela primeira vez, nesta manhã, que a HP está pensando em se afastar desse modelo de negócios. O pessoal do Gizmodo, por sua vez, confirmou o conteúdo da nota do Morgan Stanley e um porta-voz da HP nos disse que está investigando esta questão.

De acordo com a nota, 20% dos clientes da HP não imprimem ou compram tinta suficiente para tornar o modelo de negócios lucrativo. Diferente de outros itens de escritório, como computadores, os monitores e o mouse, que melhoraram exponencialmente desde os anos 90, a impressora não teve o mesmo ritmo de evolução.

Os modelos de hoje, que fazem aquele trabalho básico de passar para o papel o que precisamos, até pode servir para atividades triviais, como imprimir documentos ou itinerários de viagem. Mas fotos, passagens aéreas e até ingressos para filmes, hoje em dia, são acessados na palma da mão com um celular ou tablet.

Soluções pouco inventivas

A HP tentou dar um "alento" ao mercado de impressoras domésticas com a HP Tango X, um modelo bem compacto que pode ser guardado em qualquer lugar quando não estiver sendo usado. No entanto, ela tem um defeito: a tinta seca. Parece que ao deixar o aparelho de lado, as condições de armazenamento da tinta mudam e, claro, o cartucho estraga. Este produto deve ter sido a gota d'água para a marca repensar o seu futuro neste setor.

Ainda segundo o Morgan Stanley, a HP prepara uma alta nos preços das impressoras, o que indica a tal mudança de abordagem no mercado. Resta saber se o valor dos cartuchos de tinta vai diminuir.

Aí fica a pergunta, amigo leitor: vocês ainda usam impressora?

Deixem nos comentários!

Fonte: Gizmodo (Em Espanhol)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.