Elon Musk e Twitter discutem sobre bots com direito a emoji de cocô na conversa

Elon Musk e Twitter discutem sobre bots com direito a emoji de cocô na conversa

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 16 de Maio de 2022 às 14h40
Creative Commons/Duncan Hill

Elon Musk não está escondendo a insatisfação com o Twitter sobre como a atual equipe da plataforma lida com bots. No sábado (14), ele infringiu o sigilo do acordo de aquisição da rede social ao detalhar a amostra para verificar contas automatizadas. E nesta segunda-feira (16) ele ironizou publicamente o atual CEO do Twitter, Parag Agrawal.

Primeiro, Musk tuitou dizendo que a equipe jurídica da rede social o acusou de violar um acordo de confidencialidade sobre o tamanho da amostra usada para veriricar o alcance de bots na plataforma.

"A equipe jurídica do Twitter acabou de ligar para reclamar que eu violei seu NDA [acordo de não-divulgação, em inglês] revelando que o tamanho da amostra de verificação de bots é de 100!", tuitou Musk, que também é CEO da fabricante de carros elétricos Tesla e da empresa de exploração espacial SpaceX.

Musk tuitou na sexta-feira (13) que seu acordo de US$ 44 bilhões para adquirir o Twitter estava "temporariamente em espera" enquanto aguardava dados sobre a proporção de contas falsas na rede social.

Um seguidor pediu a Musk para "elaborar sobre o processo de filtragem de contas de bots", ele respondeu: "Eu escolhi 100 como o número de tamanho da amostra, porque é isso que o Twitter usa para calcular menos de 5% de contas falsa/spam/duplicadas".

O sul-africano ainda tuitou durante a madrugada de domingo (15) que ainda não viu "qualquer" análise que prove que o Twitter tem menos de 5% de contas falsas. Mais tarde, ele disse que "Há alguma chance de ser mais de 90% dos usuários ativos diários."

Elon Musk e o emoji de cocô

Já nesta segunda-feira, o CEO do Twitter, Parag Agrawal, fez um fio dizendo que a sugestão de Musk para medir bots com uma amostra aleatória de 100 contas não funcionaria. "Nossas estimativas internas reais para os últimos quatro trimestres estavam todas bem abaixo de 5%", escreveu Agrawal no Twitter.

Infelizmente, não acreditamos que essa estimativa específica possa ser realizada externamente, dada a necessidade crítica de usar informações públicas e privadas (que não podemos compartilhar). Externamente, nem é possível saber quais contas são contadas como mDAUs [usuários ativos diários monetizáveis] em um determinado dia.

O executivo do Twitter complementou: "Compartilhamos uma visão geral do processo de estimativa com Elon há uma semana e estamos ansiosos para continuar a conversa com ele, e todos vocês."

Musk respondeu a Agrawal com dois tuites até a atualização desta notícia: primeiro, com um emoji de cocô. Segundo, perguntou "Então, como os anunciantes sabem o que estão recebendo pelo seu dinheiro? Isso é fundamental para a saúde financeira do Twitter".

Musk alfinetou executiva do Twitter após anunciar acordo

Ainda não está claro o impacto da declaração de Musk, caso ele tenha mesmo infringido o sigilo dos termos de compra do Twitter. Não seria a primeira vez que ele cruzaria esse limite.

O negócio previa que o bilionário estaria "autorizado a emitir tuítes sobre a fusão ou as transações contempladas por este lado, desde que tais tuítes não depreciem a empresa ou qualquer um de seus representantes".

No entanto, em 26 de abril, ele respondeu a um seguidor que dizia que a principal executiva de política da plataforma, Vijaya Gadde, era a "principal defensora da censura no Twitter" por suas declarações liberais no podcast de Joe Rogan e por tentar impedir a disseminação da notícia dos vazamentos no laptop de Hunter Biden, filho do hoje presidente dos EUA, Joe Biden.

Em resposta ao tuíte, Musk disse que "suspender a conta do Twitter de uma grande organização de notícias para publicar uma história verdadeira foi obviamente incrivelmente inapropriado." No dia seguinte, Musk alfinetou Gadde novamente, ao tuitar um meme baseado em sua aparição no episódio do podcast de Joe Rogan onde aponta o "viés esquerdista" do Twitter.

Até o momento, Agrawal não respondeu à dúvida de Musk.

Fonte: Reuters, The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.