Analistas acreditam que Netflix será obrigada a adotar publicidade

Por Wagner Wakka | 30 de Abril de 2019 às 10h55
Divulgação/Netflix
Tudo sobre

Netflix

Saiba tudo sobre Netflix

Ver mais

Especialistas acreditam que, em algum momento, a Netflix vai ter de começar a apresentar publicidade em sua plataforma para conseguir se manter. Em um painel durante o Digital Content NewFronts, executivos do YouTube e do JP Morgan Chase falaram sobre o que pensam do futuro da plataforma. Para ambos, o caminho do crescimento é aceitar a publicidade.

Após ser questionada sobre o serviço de streaming, a vice-presidente do YouTube de soluções de mídia, Tara Walpert Levy, disse que apesar de a Netflix dizer que vai se manter sem publicidade, isso não é confirmado por quem trabalha dentro da empresa. Nos bastidores, diz ela, o discurso é outro. “Eles vão precisar crescer. Eventualmente, eles vão precisar de mais crescimento”.

Já para a CMO do JP Morgan Chase, Kristin Lemkau, o ponto mais importante é como a empresa vai implementar isso e não exatamente existir publicidade ou não. Para ela, se houver uma boa comunicação e o usuário entender os motivos que levam aos anúncio, ele pode muito bem decidir se quer ou não manter tal publicidade.

Ela ainda usa o exemplo de Game of Thrones, indicando que o episódio apresentado pela HBO no último domingo (28) não poderia funcionar com publicidade. Assim, se a plataforma contasse com opções que incluem e excluem publicidade, o usuários perceberia o valor de não interromper a trama e manteria a versão sem interrupções.

Especialistas acreditam que a Netflix pode adotar um sistema parecido com outros sistemas de streaming como o Hulu e CBS. Ambos têm plataformas com opções mais baratas que contam com publicidade, ou uma versão premium sem interrupções de conteúdo.

Outro ponto que analistas acreditam que pode forçar a Netflix a abandonar o sistema 100% sem anúncios é a concorrência. Antes, a empresa tinha apenas a TV a cabo e YouTube como adversários, ambos de setores relativamente diferentes que os seus. Entretanto, agora gigantes do entretenimento como a Apple, Disney, Amazon e HBO estão no páreo, ameaçando a hegemonia da Netflix. Assim, adotar publicidade pode ajudar a segurar as finanças no futuro.

A empresa atualmente tem feito pequenos aumentos no preço de assinaturas e apresentado investimentos milionários em produções autorais em todo mundo. Até o momento, a Netflix consegue se manter em alta, com relatórios financeiros mostrando 139 milhões de assinantes no fim de 2018, aumento de 26% em relação ao ano anterior.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.