Google deixará de exibir anúncios invasivos em vídeo no Chrome

Por Fidel Forato | 05 de Fevereiro de 2020 às 21h00
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Sabe aquele vídeo que aparece quando você entra em um site e não consegue fechá-lo antes de 30 segundos de reprodução? Pode ser que você nunca mais veja eles, pois esse é o plano do navegador Chrome, do Google, para seus usuários. Isso sem precisar de um Adblock Plus, inclusive. Como parte dos esforços em bloquear anúncios invasivos, a empresa anunciou um novo conjunto de padrões para a publicidade em vídeo.

Em nota sobre a nova medida, "o Chrome expandirá suas proteções ao usuário e deixará de exibir todos os anúncios em sites de qualquer país que mostrem repetidamente esses anúncios perturbadores."

Essas novas diretrizes são baseadas nos dados da Coalition of Better Ads, que lista os três tipos de publicidade, em vídeo, que os usuários mais detestam. De acordo com o levantamento, o Chrome adotará postura contrária a esses tipos de anúncio e diz que os proprietários desenvolvedores de páginas web terão quatro meses para encerrar a exibição de anúncios intrusivos, ou correrão o risco de perderem a publicidade em seus sites.

A partir de agosto, o Chrome deixará de exibir alguns anúncios em vídeos considerados invasivos (Gif: Reprodução/ Coalition for Better Ads) 

Entenda o que será proibido

A Coalition for Better Ads pesquisou o comportamento de mais de 45.000 consumidores em todo o mundo e descobriu que a maioria dos usuários fica especialmente irritada com os seguintes tipos de anúncios, que serão barrados:

  • Anúncios não ignoráveis ​​ou grupos de anúncios com mais de 31 segundos que aparecem antes de um vídeo e que não podem ser ignorados nos primeiros 5 segundos;
  • Anúncios intermediários de qualquer duração que aparecem no meio de um vídeo, interrompendo a experiência do usuário;
  • Anúncios gráficos ou de texto que aparecem na parte superior de um vídeo, em reprodução, e estão no meio 1/3 da janela ou cobrem mais de 20% do conteúdo do vídeo.

Prazo para a nova política

A partir de 5 de agosto, o Chrome não exibirá mais anúncios em sites que mostram repetidamente esses formatos. Inclusive, o YouTube terá de cumprir esses novos padrões. O navegador também afirma que revisará seus planos de produtos em suas plataformas de anúncios.

Há anos o Google tenta bloquear anúncios em vídeo como esses. O objetivo é filtrar esses anúncios, considerados mais nocivos, para que os usuários não recorram a bloqueadores de anúncios, o que prejudica a receita geral da empresa.

Com esses esforços para melhor a navegação dos usuários, desde 2018 o Google alega que as taxas de bloqueio de anúncios na América do Norte e Europa caíram significativamente no Chrome. Assim, espera que os novos padrões de anúncios reduzam ainda mais o uso dos bloqueadores.

Fonte: Engadget e Chrome News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.