Firefox vai impedir rastreamento de usuários entre diferentes sites

Por Felipe Demartini | 25 de Fevereiro de 2021 às 08h00
Divulgação/Mozilla

A Mozilla liberou nesta semana a versão 86 do navegador Firefox e, com ela, veio também uma nova camada de segurança contra o rastreamento de usuários em sites e serviços online. O browser, agora, é capaz de isolar os cookies de cada página de forma individual, de forma que as informações não possam ser lidas por outros, um passo a mais em prol da privacidade e contra o compartilhamento de dados para fins de publicidade ou curadoria de conteúdo ou ofertas.

O recurso já está disponível na edição mais recente do navegador para todos os sistemas operacionais compatíveis e representa, segundo a Mozilla, um golpe direto em um dos mecanismos de acompanhamento de usuários mais presentes na internet. Como a organização aponta, se trata de um mecanismo essencial do ponto de vista comercial, já que permite a criação de perfis dos usuários a partir de sites acessados, compras feitas e buscas realizadas, entre diferentes outros dados que são coletados a partir dos cookies.

Como comparou a Mozilla, a nova funcionalidade faz com que cada página tenha seu próprio “pote de biscoitos”, ou cookies, em inglês, sem poder pegar unidades uns dos outros, impedindo que os usuários sejam rastreados. Exceções, claro, são feitas para recursos como o login em diferentes serviços a partir de redes sociais, por exemplo, mas as únicas informações compartilhadas são aquelas necessárias para o processo em si, sem qualquer outro dado sobre os usuários que possam levar a um perfilamento.

A Total Cookie Protection, como foi chamada a função, se une a outros recursos de segurança ligados a rastreamento e perfilamento que vêm sendo introduzidos nas versões mais recentes do Firefox. Um caso, por exemplo, foi o combate aos chamados supercookies, dados que ficam armazenados fora das pastas usuais como forma de impedir a detecção e a limpeza das informações pelos usuários — desde a versão 85 do navegador, tais elementos já ficavam isolados, o que impede seu uso a partir de múltiplos domínios.

A atualização do Firefox é gratuita e já está disponível para os usuários do browser no Windows, macOS e Linux.

Fonte: Mozilla

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.