Nova versão do Firefox dispensa uso do Flash Player

Por Redação | 17.02.2015 às 16:40 - atualizado em 17.02.2015 às 22:15

Um dos maiores empecilhos para que os navegadores trabalhem de maneira mais rápida e fluida atualmente é o Flash Player, da Adobe, que, mesmo sendo atualizado constantemente, continua cheio de problemas e brechas de segurança. Muitas companhias já vêm deixando o plug-in pra trás e agora uma delas é a Mozilla, que anunciou a versão Firefox Nightly, sem a necessidade do Flash para rodar vídeos. As informações são do Slash Gear.

O Firefox Nightly usa a ferramenta Shumway, que é como uma versão de código aberto para o plug-in Flash Player. Mais leve e sem tantos anos de herança de erros não resolvidos, o recurso da Mozilla poderá assim rodar sem que o navegador pare ao encontrar um erro de Flash.

A novidade vem bem a calhar, contudo, não deve ser completamente compatível com todos os sites, já que muitos nem mesmo trabalham com o Flash Player. Esta é apenas mais uma solução paliativa na guerra travada entre as companhias contra o plug-in, que nunca se apresentou totalmente confiável e a cada ano que passa se mostra ultrapassado e problemático.

Uma das grandes barreiras para transformar o Flash num plug-in do passado é o fato de que muitas empresas tentam empurrar suas próprias tecnologias semelhantes. Além disso, boa parte do arquivo da web roda com Flash e precisaria ser convertido para outra linguagem.

Para ter uma ideia, o Shumway roda bem os vídeos, entretanto, tem compatibilidade bastante limitada, tanto em relação ao próprio conteúdo quanto aos sistemas operacionais. No mês passado, o Google chegou a trocar o Flash pelo HTML5 como plug-in padrão, mas sempre retorna ao produto da Adobe quando necessário. O browser Chrome tem uma versão nativa própria do Flash, para tentar manter as coisas sob maior controle.

O Firefox Nightly vem, então, para ser mais uma opção para quem costuma se irritar com os constantes travamentos do Flash Player e mostra que o setor está evoluindo, deixando aos poucos antigos paradigmas para trás. Mas, ao que tudo indica, a busca por um padrão universal ideal que vá substituir o plug-in mais popular da web ainda parece levar mais algum tempo.

Fonte: http://www.slashgear.com/mozilla-puts-another-nail-on-flashs-coffin-16369179/