Xiaomi é processada em US$ 7,5 milhões por quebra de patente

Por Redação | 05 de Julho de 2018 às 16h35
divulgação
Tudo sobre

Xiaomi

A fabricante de aparelhos eletrônicos Xiaomi foi parar novamente nos tribunais. Dessa vez, a companhia chinesa foi processada em US$ 7,5 milhões (cerca de R$ 30 milhões) pela Yuan Gongyi por violação de patentes.

Segundo a demandante, a Xiaomi utilizou indevidamente diversos padrões de comunicação 3GPP proprietários em vários dos seus aparelhos. Denominada “Common Packet Channel”, a patente pertencia originalmente à Jinqiao Technology Co. Ltd, sediada em Nova Jersey (EUA), tendo sido transferida à Yuan Gongyi ao final de 2016.

Conforme consta na descrição da patente, a tecnologia pode ser aplicada aos padrões WCDMA, TD-SCDMA, HSPA e LTE, os quais teriam sido incorporados sem prévio consentimento nos modelos Mi 5X, Mi Max 2 e Mi Note 3. Formalmente, o litígio foi então iniciado contra a Xiaomi Communication Technology Co. Ltd. Além do valor por danos financeiros, o demandante pede ainda que a corte tome uma providência, a fim de que a Xiaomi pare de uma vez com suas reiteradas infrações.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Xiaomi foi processada em fevereiro deste ano por veicular publicidade falsa relacionada ao Redmi Note 2. Posteriormente, em maio, a Coolpad moveu ação contra a companhia por quebra de patentes, insistindo que vários aparelhos da fabricante chinesa fossem tirados do mercado. Ademais, a empresa esboçou recentemente interesse de expandir seus negócios para os EUA.

Fonte: Ithome

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.