Uber vai fechar seu programa de leasing nos Estados Unidos

Por Redação | 08 de Agosto de 2017 às 17h49

O ano de 2017 definitivamente não vem sendo bom para a Uber. Após a renúncia do CEO, Travis Kalanick, e das denúncias de assédio, agora a companhia enfrenta outro problema. Dois anos depois de ter iniciado um programa de leasing para os motoristas, a companhia chegou à conclusão que deveria ter analisado a economia um pouco melhor.

Segundo análise do “Wall Street Journal”, a Uber está perdendo dez vezes mais do que foi planejado. Em números absolutos, o prejuízo seria de US$ 9 mil por carro, em vez dos US$ 500 esperados. O resultado deve levar ao encerramento do programa.

E isso não é tudo. A Uber aparentemente afundou cerca de US$ 600 milhões no programa de leasing, aberto em 24 mercados. E recentemente, a empresa foi atacada por fornecer veículos inseguros para motoristas em Cingapura por meio desse programa.

A análise do WSJ é forte. Essa parte do negócio da Uber parecia estar condenada desde o início. Fontes dizem que as taxas de leasing eram maiores das que um motorista pagaria a um revendedor, o que, por sua vez, levariam os motoristas a tentarem aumentar sua renda. Isso significou mais corridas e mais desgaste e resultou em menores valores de revenda dos carros utilizados pelo programa.

Além disso, os revendedores independentes estão empurrando os motoristas para veículos mais caros, e isso perpetua o ciclo vicioso.

Quem aposta na recuperação da Uber ainda neste ano? Vamos esperar como a empresa vai reagir a mais um problema.

Fonte: Engadget