Uber sabia que ex-executivo roubou documentos confidenciais da Waymo

Por Redação | 03 de Outubro de 2017 às 15h53
TUDO SOBRE

Uber

A todo momento, um novo capítulo surge na "novela" que exibe a batalha judicial entre Uber e Waymo. Agora, informações reveladas à imprensa internacional dizem que a Uber tinha, sim, conhecimento de que seu ex-executivo, Anthony Levandowski, havia roubado documentos confidenciais da rival, contrariando o posicionamento oficial da companhia que dizia não ter conhecimento do "causo".

Quem revelou a informação foi a empresa Stroz Friedberg, que participou das negociações para a aquisição da Otto (startup de veículos autônomos de Levandowski que foi fundida com a Uber), e os advogados da Waymo decidiram tornar pública a revelação de que a empresa então chefiada por Travis Kalanick sabia do roubo de milhares de documentos pelo menos dois meses antes de decidir demitir o ex-executivo.

Segundo o relatório, Levandowski teve acesso a arquivos de design de projetos de carros autônomos da Google, bem como códigos-fonte, e-mails, apresentações, softwares e fotos. Assim que o roubo foi descoberto, o executivo apagou todos os registros da documentação, mas ainda não se sabe se ele agiu sozinho, ou se foi acobertado por outros funcionários.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Por conta disso, a Google está processando a Uber por ter roubado patentes e segredos comerciais da Waymo, exigindo que a empresa do aplicativo de transporte particular pague pelo menos US$ 1,9 bilhão em danos.

Fonte: Wired

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.