Restaurantes se preocupam com possível compra do Grubhub por Uber Eats

Por Stephanie Kohn | 14 de Maio de 2020 às 12h30
Reprodução/Uber Eats

A possibilidade de a Uber Technologies, que opera o Uber Eats, adquirir o Grubhub - mercado americano online e móvel de pedidos e entrega de alimentos - está reacendendo as preocupações de alguns restaurantes com as taxas cobradas a eles pelas empresas de entrega de alimentos.

Alguns pequenos restaurantes expressam antipatia pelos serviços, que às vezes cobram dos restaurantes pequenos - que já operam em margens reduzidas - até 15% a 30% de taxas em cada pedido, além de oferecer descontos para redes grandes como o McDonald’s.

“Você fica nervoso quando potencialmente tem um provedor que superará 50% do mercado”, disse Robert Guarino, presidente-executivo da 5 Napkin Burger, que tem quatro unidades em Manhattan. A maioria dos pedidos é feita pelo Grubhub.

Andrew Rigie, presidente-executivo da New York City Hospitality Alliance, uma associação comercial, disse que a fusão entre as empresas “apresenta preocupações significativas”.

Desempenho

Em março e abril, quando a pandemia de coronavírus atingiu os Estados Unidos, o Grubhub viu sua plataforma adicionar o mesmo número de novos restaurantes parceiros que durante todo o segundo semestre de 2019, disse o presidente-executivo Matt Maloney na semana passada em uma carta aos acionistas.

Atualmente, a plataforma possui cerca de 300 mil restaurantes nos EUA, enquanto o Uber Eats ten mais de 100 mil nos Estados Unidos e no Canadá. A fusão criaria a maior empresa de entrega de alimentos do país. Em abril, os pedidos médios diários do Grubhub foram 20% maiores que no mesmo mês do ano passado, disse Maloney.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.