Microsoft está mais perto de fechar acordo para compra do Discord

Microsoft está mais perto de fechar acordo para compra do Discord

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 26 de Março de 2021 às 10h15
Discord

A Microsoft estaria prestes a fechar um acordo de compra do Discord, revelou uma reportagem do Wall Street Journal. Ambas as empresas estariam em conversas avançadas e a negociação — que pode extrapolar a casa de US$ 10 bilhões — pode ser formalizada logo no próximo mês, apontam fontes entrevistadas pela publicação.

Neste momento, o Discord estaria avaliando suas opções — incluindo a abertura de capital na bolsa, na tentativa de repetir o feito histórico do Roblox. Entretanto, diferente do que foi noticiado na última terça (23), a negociação poderia ser concluída logo em abril e não haveria mais concorrentes competindo pela plataforma atualmente.

Não é novidade que a Microsoft segue em expansão desenfreada nos últimos meses — pelo menos no seu segmento de games, sob a tutela da marca Xbox. No ano passado, a companhia anunciou a compra da Bethesda Softworks e gerou incerteza sobre o futuro da distribuição de seus games. Agora, jogos conhecidos do catálogo da desenvolvedora estão dispostos em grande parte no Xbox Game Pass e os próximos títulos serão exclusivos de "plataformas onde o Xbox Game Pass está", de acordo com o líder da divisão, Phil Spencer — ou seja, Xbox e PC.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Reprodução/Discord)

Comprar o Discord não só seria uma boa tacada para apostar na comunicação de jogadores e na manutenção de comunidades, como também parece algo natural. A plataforma comum entre gamers tomou dimensões ainda maiores devido a pandemia e orientações de distanciamento social. Sucesso reiterado por números, o total de usuários ativos mensalmente chega a 140 milhões e a receita passa dos US$ 100 milhões — oriunda de assinaturas e outras aquisições dentro do app.

A maior compra até hoje

Para a Microsoft, a aquisição do Discord seria importante para ambas as partes. Entretanto, para a Gigante de Redmond, ela seria o maior investimento feito desde a compra do LinkedIn por US$ 26,6 bilhões, em 2016. As demais recentes aquisições — GitHub e ZeniMax Media (detentora da Bethesda) — não passaram da casa dos US$ 10 bilhões.

O Discord, por sua vez, encara uma fase de crescimento em todo o mundo e ampliou suas aplicações de uso além do público gamer para se tornar um meio de comunicação completo, assim como foi o Skype em seus primeiros anos. A sua avaliação dobrou para US$ 7 bilhões em dezembro, alimentada pelos US$ 130 milhões arrecadados em 2020, mais que o triplo da receita de 2019.

Contudo, a companhia afirma que tais valores não representam lucro real. Em março, também em conversas com o Wall Street Journal, o Discord esclareceu que toda a receita de 2020 partiu dos próprios usuários — da compra de assinaturas, figurinhas e outros itens. O modelo de monetização baseado em propagandas, por sua vez, estava fora de cogitação, de acordo com o CEO Jason Citron.

Mantenha um olho neles

Assim como a Microsoft faz com suas aquisições mais volumosas, as companhias integradas ao seu portfólio não apresentam mudanças significativas para a colaborar com a gigante. Com o Discord, o cenário pode ser o mesmo: a plataforma não é compatível com consoles PlayStation, então é um software exclusivo de plataformas já "dominadas" — PC, celulares e consoles Xbox.

As únicas mudanças poderiam ser uma melhor integração com o sistema da Microsoft, maior investimento em infraestrutura e aprimoramentos dentro do aplicativo. Ainda é cedo para palpitar mudanças mais palpáveis, mas, considerando a iminência da formalização das negociações, é bom ficar de olho nessa dupla para acompanhar os desdobramentos.

Fonte: Wall Street Journal

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.