Huawei mira em expansão fora da China com 70 mil lojas de varejo até 2017

Por Rafael Romer | 27 de Abril de 2015 às 11h13

*De Shenzhen, China.

A chinesa Huawei quer investir pesado no reconhecimento de sua marca fora do país de origem com uma meta de atingir 70 mil pontos de varejo, como quiosques e lojas físicas, até o final de 2017. A ideia é que a partir do final de 2015 os pontos de venda no exterior já superem aqueles localizados dentro da China. A empresa encerrou 2014 com cerca de 30 mil pontos de varejo globais.

A afirmação foi feita pela diretora de marketing da divisão de consumer da Huawei, Glory Zhang, na última quarta-feira (22), durante o Analyst Summit da empresa, na cidade de Shenzhen (China).

Questionada pelo Canaltech sobre o mercado brasileiro, Zhang não confirmou se mais lojas chegarão ao país, mas destacou que o país é um dos focos da expansão da empresa. "É um mercado tradicional para nós e acreditamos que vamos descobrir qual a estratégia adequada, se será abrir mais lojas ou expandir a exposição através de publicidade ou patrocínios", explicou.

A executiva, no entanto, afirmou que a empresa não deverá mudar sua estratégia no mercado brasileiro frente a chegada de novos concorrentes no setor de smartphones, como a também chinesa Xiaomi, que ganhou muito espaço na China nos últimos dois anos e deve começar a operar em breve no Brasil.

A estratégia da empresa é ganhar espaço nesses mercados através da expansão de ofertas de smartphones intermediários e de topo de linha nos mercados estrangeiros. Hoje, esses smartphones já representam 34% do total de remessas da companhia para o exterior - no ano passado foram apenas 5%.

Na última sexta-feira (24), o novo dispositivo topo de linha da Huawei, o P8, chegou oficialmente aos primeiros mercados. Ainda sem data de estreia por aqui, a expectativa da empresa é vender ao menos 10 milhões de unidades do novo dispositivo neste ano.

Durante a abertura da conferência, o atual CEO da empresa, Eric Xu, também falou sobre um plano ambicioso de criar uma rede de atendimento técnico para reparos e de suporte pós-venda que esteja dentro de um raio de 5 km de qualquer consumidor da Huawei. No entanto, o CEO não detalhou como a empresa planeja executá-lo.

No ano passado, a divisão de consumer da Huawei atingiu US$ 2,4 bilhões de receita, com um marketshare global de 5,8%. De acordo com a consultoria de mercado IDC, a empresa já é a terceira maior fabricante de smartphones do mundo.

Huawei

A Diretora de Marketing da divisão de consumer da Huawei, Glory Zhang, falou à impresa durante a Huwaei Analyst Summit (foto: Rafael Romer/Canaltech)

* O repórter viajou à Shenzhen a convite da empresa

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.