Grow reestrutura operações no Brasil e encerra serviços em 14 cidades

Por Nathan Vieira | 22 de Janeiro de 2020 às 18h50

O mercado de patinetes elétricos está cada vez mais desafiador, tanto é que no último dia 9, a Lime, gigante americana dos patinetes elétricos, anunciou o encerramento de suas operações no Rio e em São Paulo (além de outras cinco cidades na América Latina: Bogotá, Buenos Aires, Montevidéo, Lima e Puerto Vallarta). Nesta quarta (22), foi a vez da Grow anunciar uma reestruturação em seus serviços.

Acontece que a startup de micromobilidade anunciou mudanças em suas operações no Brasil, medidas fazem parte de um processo de reestruturação da empresa, presente em 7 países da América Latina. A decisão foi tomada para que a companhia promova um ajuste operacional. Na prática, é o seguinte: a Grow segue operando patinetes em São Paulo (SP), no Rio de Janeiro (RJ) e em Curitiba (PR). As bicicletas estão temporariamente fora de circulação. Elas foram recolhidas das ruas para que sejam submetidas a um processo de checagem e verificação das condições de operação e segurança. A empresa está em busca de parcerias públicas e privadas para fortalecer e expandir sua operação. 

“Planejar essa reestruturação nos colocou diante de decisões difíceis, porém necessárias para aperfeiçoar a oferta de nossos serviços e consolidar a nossa atuação na América Latina. O mercado da micromobilidade é fundamental para revolucionar a forma como as pessoas se locomovem nas cidades e continuamos acreditando que esse mercado tem espaço para crescer na região”, explica Jonathan Lewy, CEO da Grow.

A Grow é uma fusão entre as empresas de patinetes e bicicletas compartilhadas Grin e Yellow

Sendo assim, a empresa vai encerrar suas operações de patinetes em Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campinas (SP), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), Guarapari (ES), Porto Alegre (RS), Santos (SP), São Vicente (SP), São José dos Campos (SP), São José (SC), Torres (RS), Vitória (ES) e Vila Velha (ES). Os patinetes que estavam nessas cidades serão transferidos para as cidades em operação.

Em parceria com uma consultoria de RH, a Grow está buscando a recolocação dos colaboradores demitidos. “Agradecemos aos colaboradores que estiveram conosco e estamos buscando sua recolocação no mercado de trabalho. É importante ressaltar que todos terão resguardados os seus direitos trabalhistas”, completa Lewy. A Grow  nasceu em janeiro de 2019, resultado da fusão entre as empresas de patinetes e bicicletas compartilhadas Grin e Yellow.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.