Fintech transforma cartão de débito em crédito via aplicativo

Fintech transforma cartão de débito em crédito via aplicativo

Por Rui Maciel | 26 de Março de 2021 às 13h50

De acordo com um levantamento do Serasa Experian, mais de 24 milhões de brasileiros não conseguem acesso a crédito no mercado, principalmente, devido ao baixo score do CPF. Além disso, o Banco Central aponta que existem R$ 350 bilhões disponíveis nos cartões de crédito e que não usados por seus titulares. E é de olho nesse público e na demanda reprimida que uma startup lançou um produto que transforma cartões de débito em crédito, usando apenas um aplicativo.

A Desbankei é uma fintech fundada na cidade de Votorantim, interior de São Paulo. Ela desenvolveu um app que transforma cartões de débito em crédito. Para isso, ela conecta limites de crédito disponíveis com quem precisa comprar parcelado. E esses limites de crédito pertencem às pessoas comuns, que podem se tornar investidores usando apenas um cartão de crédito.

"O que nós fazemos é conectar esses dois perfis de clientes [os que precisam de crédito e aqueles que têm crédito disponível] por meio dos nossos aplicativos", explica Vinícius Lisboa, um dos fundadores da Desbankei, juntamente com Adílson Andrade.

Ainda de acordo com o empreendedor, o aplicativo que faz esse processo de débito para crédito permite que o consumidor parcele compras com taxas de juros mais acessíveis. E isso vale mesmo se ele tiver um baixo score nos bureaus tradicionais – instituições que registram pagamentos de contas como Serasa Experian e Boa Vista e que e servem como grandes bancos de dados para varejos e afins.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Adílson Andrade e Vinícius Lisboa, fundadores da Desbankei

Lisboa explica que o acesso facilitado ao crédito por meio do aplicativo se dá graças ao modelo próprio de análise de crédito e classificação de score da Desbankei. Segundo o empreendedor, a solução usa uma metodologia diferenciada das demais ferramentas disponíveis no mercado e que permite essa transformação de cartões de débito para crédito para aqueles que hoje têm seus pedidos de cartão do gênero negados por bancos e financeiras. "A meta é expandir para cidades de todo país. Já temos fila de espera tanto para tomadores de crédito quanto para investidores", completa Vinícius.

Como ter acesso ao crédito

O primeiro passo para ter acesso ao crédito é baixar o aplicativo da Desbankei, que está disponível no Google Play (Android) e na App Store (iOS / iPhone), sendo que nesse último, o app ainda não estava disponível até o fechamento desta matéria.

A seguir, o usuário realiza o cadastro e, depois de enviar os documentos solicitados, recebe a resposta em até 24 horas. "Temos o nosso próprio método de análise de crédito, feito especialmente para pessoas com baixo score de crédito", explica Adílson Andrade. Com o cartão de débito devidamente transformado em crédito, o cliente pode utilizá-lo da maneira que quiser.

"Para nós, não importa se o cliente vai reformar a casa, comprar um smartphone ou pagar alguma conta em atraso", ressalta Andrade. "O cliente é dono do crédito para usá-lo como bem entender, sem questionamentos, e nós estamos aqui para ajudá-lo com isso e muito mais."

O crédito disponibilizado pela Desbankei pode ser parcelado entre 3 e 12 vezes. O valor é cobrado via boleto bancário. O cliente também pode escolher as opções de datas de vencimento. As taxas de juros são personalizadas, conforme o perfil de cada consumidor e há desconto para antecipação de parcelas.

App do Desbankei: solução que pretende atingir público potencial de 24 milhões de brasileiros que não têm acesso ao crédito (Foto: Divulgação) 


Vantagens para o investidor e proteção contra calote

Segundo os fundadores da Desbankei, os interessados em oferecer o crédito a quem não tem acesso têm diversas vantagens. Entre elas, eles podem investir sem a necessidade de desembolsar dinheiro, obter ganhos que, segundo a fintech, estão acima do mercado, gerar milhas aéreas de graça e ter a garantia contratual de rendimentos mensais, além da devolução do valor investido.

Andrade explica que o investimento do interessado é com o Desbankei e não com o tomador de crédito. Isso significa que mesmo se o cliente da outra ponta atrase o pagamento, o investidor não será afetado.

"O Desbankei depositará os valores na conta do investidores antes do vencimento da fatura, para que ele pague tudo com tranquilidade. O pagamento no dia combinado é um ponto da maior importância para nós e garantimos isso por meio de uma adequada precificação dos empréstimos", explica Andrade, que também é especialista em finanças. "E faremos ainda uma provisão financeira para cobrir os atrasos. Em outras palavras, a Desbankei é quem paga a conta, caso haja inadimplência".

Ainda segundo os fundadores da Desbankei, esse processo de intermediação financeira é permitido por lei. No dia 26 de Abril de 2018, o Conselho Monetário Nacional (CMN) publicou a regulamentação para as fintechs, a Resolução CMN Nº 4.656. O Desbankei afirma se enquadrar dentro desta regulamentação e também atua em conjunto com as bandeiras e adquirentes com a intenção de imprimir transparência ao modelo de negócios.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.