Ex-chefe de marketing processa Tinder e faz acusações de agressão

Por Nathan Vieira | 05 de Agosto de 2019 às 21h30
Tudo sobre

Tinder

Saiba tudo sobre Tinder

Ver mais

As coisas não estão nada fáceis para o aplicativo de relacionamentos mais famoso da atualidade, o Tinder. Isso porque a ex-chefe de marketing, Rosette Pambakian, moveu uma ação contra a Match Group (empresa responsável pelo Tinder e por vários outros aplicativos de relacionamento como o ParPerfeito e o Twoo), sob a alegação de ter sido demitida injustamente depois que ela acusou o ex-CEO do Tinder, Greg Blatt, de agressões sexuais.

Rosette Pambakian alega em sua ação que Blatt a agrediu sexualmente depois de uma festa de Natal do Tinder em 2016 no quarto de um funcionário. A história veio a público principalmente depois que a ex-chefe de marketing concedeu uma entrevista à CNN falando sobre o assunto, em agosto de 2018. Junto com as acusações em torno das agressões, Pambakian também disse que a Match Group propositalmente subvalorizou o Tinder em um esforço para evitar o pagamento de bilhões de dólares para a equipe de startups (na qual ela estava inclusa).

A empresa demitiu Pambakian, juntamente com outros funcionários envolvidos no processo, sob o argumento de que eles eram “incapazes de cumprir suas responsabilidades de trabalho”. A porta-voz da Match Group, Justine Sacco, disse ao The Verge que "a empresa realizou uma investigação completa”.

A acusação de agressões

Rossette Pambakian, ex-chefe de marketing do Tinder (Foto: The Blast)

Um novo processo alega que, durante a comemoração natalina, Blatt assediou verbalmente a ex-chefe de marketing, dizendo que ficava excitado toda vez que olhava para ela e que queria sair da festa com ela. Pambakian conta na ação que temia que ele agisse de acordo com sua palavra, então decidiu fugir para o quarto de seu assistente, junto com outro colega. Blatt é então acusado de ter mandado uma mensagem para seu assistente perguntando onde todos estavam e apareceu no quarto, agredindo Pambakian. Segundo o processo, Blatt teria puxado Pambakian para a cama do hotel, onde a apalpou e a beijou. Blatt mais tarde supostamente pediu desculpas a Pambakian, e ela concordou em não falar sobre isso novamente, por medo de prejudicar sua relação de trabalho e reputação.

Pambakian alega ainda que relatou o incidente ao fundador do Tinder, Sean Rad, que era então o presidente da empresa. Rad supostamente reportou o ocorrido aos executivos da Match Group, bem como ao chefe de recursos humanos da companhia, e Pambakian se reuniu com dois advogados da empresa para detalhar o que aconteceu. Blatt supostamente descobriu sobre a reunião e pediu a seu assistente para não cooperar, porque isso "arruinaria sua vida e família".

As investigações mais formais tiveram início um pouco mais tarde, mas nenhuma testemunha que estava presente no quarto de hotel foi entrevistada, apenas o próprio assistente de Blatt. Posteriormente, pediram para que Pambakian assinasse um acordo de não divulgação (NDA) em torno das acusações. A ex-chefe de marketing não assinou. Blatt então renunciou o cargo, e Pambakian disse que isso tem relação direta com as acusações de agressão. Ela afirma que, mesmo depois que Blatt deixou o cargo, pediu para que nada fosse falado.

O “Match se envolveu em uma investigação falsa realizada por executivos tendenciosos em um esforço para esconder e desacreditar a agressão sexual sofrida por Pambakian”, consta no processo. “Apenas quando confrontados com o fato de que eles não podiam mais manter o ataque em silêncio, os réus da empresa tomaram alguma medida”.

A acusação da rescisão injusta

Tinder, aplicativo de relacionamentos da empresa Match Group

Em agosto, Pambakian se juntou com Rad e outros na equipe original do Tinder para processar o Match Group, onde reinvidicou as acusações. Na época, o Match respondeu, defendendo que “conduziu uma investigação cuidadosa e completa sob a direção de membros independentes da Diretoria e concluiu, entre outras coisas, que não houve violação" O emprego de Pambakian foi encerrado em dezembro.

Pambakian diz que teve que desistir de milhões de dólares em ações e está buscando indenizações compensatórias para cobrir seus problemas emocionais, assim como prejuízos econômicos por despesas médicas, despesas extras.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.